Educação

ATIBAIA

Todo apoio à greve de professores e servidores de Atibaia

Servidores públicos municipais do setor da educação estão em greve desde o dia 18 de junho, em Atibaia, interior de São Paulo. A categoria deliberou a greve após continuarem sem suas reivindicações atendidas, tendo as tentativas de negociações sido arrastadas desde fevereiro até o presente momento, sem qualquer solução.

quarta-feira 26 de junho| Edição do dia

Os servidores levantam a discussão de que não estão em greve porque querem férias ou descanso, mas sim porque lutam pela valorização do seu trabalho, por respeito, se colocando contra os ataques que o funcionalismo público e a educação vêm sofrendo em todo o país.

Apesar de lutarem pelo aumento salarial e por contribuições do plano de saúde, a luta vai muito além do salário. E é nessa linha de luta que se manifestaram durante o tradicional Desfile Cívico do aniversário do município de Atibaia, evento que ocorreu na manhã desta segunda-feira (24), com cartazes contendo frases como: “Educação não tolera opressão”, “Verás que o servidor não foge à luta”, e “Não são só os professores”.

O Desfile Cívico contou com a presença do prefeito Saulo Pedroso (PSB) que ao longo de todo seu discurso em momento algum fala sobre a situação latente de ataques à educação que o município vem sofrendo e ignora as manifestações dos professores e servidores.

Assim como as lutas de peso de norte a sul do país, como nos 15M, 30M e na greve geral de 14J, os trabalhadores e a juventude se levantam, mostrando sua disposição de luta nas ruas, assim tem se levantado os servidores em Atibaia.

E nós do MRT e do Esquerda Diário, dizemos: toda solidariedade à categoria em luta, repudiamos os ataques ao funcionalismo público e à educação. Apoiamos a luta dos servidores contra esse governo que segue seu plano de sucateamento de serviços essenciais como a educação, enquanto garante que os capitalistas continuem lucrando ainda mais em cima das costas dos trabalhadores.




Tópicos relacionados

Professores São Paulo   /    São Paulo   /    Educação   /    Professores   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar