Mundo Operário

TRABALHO PRECÁRIO

Terceirizados da saúde no Pernambuco estão a dois meses sem salário

Trabalhadores terceirizados da saúde que prestam serviço a sete hospitais em Pernambuco se reuniram em assembleia na última sexta-feira (05) para debater greve diante de 2 meses de salários, vales refeições e vales transportes em atraso, além de ainda não terem recebido o 13º de 2020 em sua totalidade.

domingo 7 de março| Edição do dia

Foto: Reprodução

Além disso, ainda existem denúncias de atraso de 6 meses nos depósitos do FGTS, não cumprimento do piso da categoria e ausência de recolhimentos previdenciários.

A situação desses trabalhadores da saúde, que em meio a pandemia estão na linha de frente no combate e se veem sem salários e condições básicas diante de uma crise econômica profunda que o país passa.

A situação também reflete a precarização dos trabalhadores terceirizados. A lei da precarização irrestrita aprovada no governo do PT, junto aos enormes ataques à classe trabalhadora aprovadas desde o golpe e os enormes ataques do governo Bolsonaro, são a base para a miséria.

A cada dia são mais e mais denúncias como essa, salários atrasados, rebaixados, demissões, condições insalubres , fechamento de enormes indústrias como o no caso da Ford.

Enquanto isso morremos (já ultrapassamos os 250 mil mortos por covid), por conta da ingerência do governo de Bolsonaro, mas também de Paulo Camara governador do Pernambuco, mas de todos os governadores pelo país. Apesar das demagogicas medidas de restrição, e de no caso desses trabalhadores terceirizados da saude de Pernambuco, dizerem que todos os pagamento foram repassados para a terceirizada. A própria terceirização já rebaixa e precariza os postos de trabalho.




Tópicos relacionados

Pernambuco   /    trabalhadores da saúde   /    Terceirização   /    Saúde   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar