Educação

GREVE DE TERCEIRIZADOS

Terceirizados da Educação paralisam atividades por salários atrasados em Natal

Os trabalhadores terceirizados da Educação estão com os salários e benefícios de janeiro atrasados na capital potiguar. A Prefeitura atrasa sistematicamente seus pagamentos desde dezembro de 2016.

segunda-feira 26 de fevereiro| Edição do dia

Os trabalhadores terceirizados da Preservice, empresa terceirizada responsável pela merenda dos quase 60.000 alunos da Rede Municipal de Ensino estão sem o pagamento referente ao mês de janeiro e sem o vale-transporte. O pagamento feito pela Prefeitura a empresa está atrasado há oito meses. Os trabalhadores decidiram paralisar suas atividades nesta segunda-feira, hoje também ocorrerá uma mediação entre o Ministério Público do Trabalho e do Emprego (MPTE), o sindicato da categoria, o Município e a Preservice (se ela for intimada a tempo).

Já a Crast, empresa responsável pelos serviços de limpeza deve o salário do mês de janeiro, seis meses de vale-alimentação e o vale transporte aos trabalhadores. A SS Empreendimentos deve também o salário de janeiro.

A terceirização dos serviços públicos é uma forma descarada de implementar a precarização, diminuindo salários e reduzindo a responsabilidade da Prefeitura com os serviços, garantindo lucros para empresas privadas. A prática de não pagar os trabalhadores o que lhes é de direito parece uma tendência no Estado do Rio Grande do Norte, onde os servidores estaduais da saúde e da UERN estão em greve há quase 100 dias.

O prefeito Carlos Eduardo (PDT) mantém um salário luxuoso e regalias, enquanto os trabalhadores não tem como pagar suas contas. Seu primo, Henrique Alves, goza de liberdade e uma vida de luxos enquanto é comprovado seu envolvimento no esquema do Arena das Dunas, em um valor estimado de R$ 11.5 milhões, confiscar os bens deste já possibilitaria pagar uma boa quantidade dos salários atrasados que se alastram pelo Estado.

Nós do Esquerda Diário declaramos total apoio aos trabalhadores terceirizados municipais. É necessário unificar as lutas para exigir o pagamento dos salários junto aos servidores estaduais e também aos vigilantes, para lutar contra a implementação da Reforma Trabalhista e a continuidade do golpe institucional.

O 8 de Março, Dia Internacional de Luta das Mulheres, está chegando e não por acaso as servidoras da saúde e trabalhadoras da educação são em sua maioria mulheres. Aproveitemos este dia fundamental para cercar estas lutas de apoio.




Tópicos relacionados

precarização   /    Rio Grande do Norte   /    Greve   /    Terceirização   /    Educação

Comentários

Comentar