Política

Temer vai a Nova York apresentar reforma trabalhista a empresários e banqueiros

segunda-feira 19 de setembro| Edição do dia

O presidente golpista Michel Temer deu início no domingo à sua primeira visita aos Estados Unidos, com uma agenda que será dividida entre a Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) e evento empresarial destinado a apresentar o menu de ajustes e as reformas econômicas propostas pelo governo federal, na tentativa de atrair investidores para a Black Friday dos ativos nacionais.

Temer não será recebido por Barack Obama. "Sem provas, ma com convicção", podemos crer que o presidente dos EUA não tem interesse em entrar na contenda sobre a caráter do governo brasileiro meses antes de deixar o cargo.

Um grupo de cerca de 25 brasileiros receberam Temer aos gritos de "Fora Temer golpista" quando ele chegou, no fim da tarde, ao hotel Plaza Athénée, onde ficará hospedado durante sua visita de três dias a Nova York. Esta é a segunda viagem internacional do presidente desde sua confirmação no cargo, em 31 de agosto. Logo depois de tomar posse, ele foi à China, onde participou de reunião de líderes do G-20, e já articulou bons negócios com a venda de centrais elétricas, aeroportos, ferrovias e rodovias.

Temer fará o discurso de abertura da Assembleia-Geral da ONU, que, tradicionalmente, cabe ao presidente do Brasil. A assessoria de Temer disse que nem o Brasil nem os EUA propuseram encontro bilateral entre os presidentes.

Temer terá reuniões privadas com os presidentes de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa; do Peru, Pablo Kuczynski; e do Uruguai, Tabaré Vázquez, cujo governo divulgou nota crítica ao impeachment de Dilma Rousseff no início do mês.

Empresários

O presidente brasileiro chegou a Nova York no fim da tarde de domingo, acompanhado dos ministros da Justiça, Alexandre de Moraes, Meio Ambiente, Sarney Filho, e Minas e Energia, Fernando Bezerra Filho, e do secretário do Programa de Parcerias de Investimentos, Moreira Franco. Maurício Quintella, dos Transportes, chega a Nova York nesta segunda-feira.

Temer tem agenda cheia com os magnatas norteamericanos. Se reunirá com cerca de 20 CEOs de grandes empresas americanas, no qual pretende falar sobre as reformas propostas por seu governo e também conhecer a "percepção deles em relação ao Brasil", ou sua sede de investimentos. Em seguida, terá almoço com investidores, analistas de mercado e representantes de agências de classificação de risco. Antes do almoço na quarta-feira, Temer e os ministros terão encontro com empresários e presidentes de empresas. Em seguida, ele fará discurso em que deve destacar o ajuste na economia brasileira, principalmente o fiscal, e o programa de concessões.

Para mostrar o programa de concessões, Moreira Franco e outros ministros têm reuniões a partir desta segunda-feira com representantes de bancos.

O Citigroup , um dos maiores bancos do mundo, também organiza evento com mais de 30 investidores e gestores de recursos, no hotel onde Temer está hospedado, o elegante Plaza Athénée. Na segunda-feira à tarde, Temer participa de entrevista à imprensa e falará sobre o programa de concessões anunciado na semana passada.

É de se esperar que a comitiva golpista encenará novamente o papel de caixeiro viajante representado na China, dobrando os joelhos às finanças novaiorquinas como fez com os mandarins chineses. No prato dos acionistas estarão a Petrobrás, os Correios, a Eletrobrás, e toda uma série de propostas de privatização que o governo quer apresentar junto com a reforma trabalhista, um verdadeiro convite para que venham explorar mão-de-obra "a níveis chineses" no Brasil.




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Estados Unidos   /    Política

Comentários

Comentar