Política

REFORMA TRABALHISTA

Temer quer acelerar tramitação da reforma trabalhista

A urgência do ataque vai no sentido de acelerar a tramitação da reforma trabalhista que enfrenta bastante resistência por parte dos trabalhadores, como demonstrou o 28A

segunda-feira 8 de maio de 2017| Edição do dia

Contrapondo ao que desejo de Renal Calheiros (PMDB-AL) que propunha que a reforma trabalhista transitasse na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), alterando o cronograma de votação do senado e ganhando mais alguns dias, Temer propõe um "caráter de urgência" para o senado votar a reforma trabalhista ainda no inicio de Junho.

A urgência do ataque caminha no sentido de acelerar a tramitação da reforma trabalhista que enfrenta bastante resistência por parte dos trabalhadores, como demonstrou o 28A, e ir garantindo outro grande ataque contra o direitos dos trabalhadores: a reforma da previdência.

Precarização e aumento das horas de trabalho combinados com a extensão da idade para aposentadoria de milhares de mulheres e homens trabalhadores, que em resumo, é só parte dos ataques que Temer quer implementar já entre os meses de maio e junho.

A base aliada do PMDB discute ainda qual é o melhor método para aplicar os ataques, frente pressões dos capitalistas, como os empresários, latifundiários e base eleitoral dos golpistas. Temer e Calheiros, ainda que apresentem "rusgas" nos ritmos de implementação dos ataques, não deixam dúvidas que o alvo são os direitos dos trabalhadores.




Tópicos relacionados

Reforma Trabalhista   /    Governo Temer   /    Direitos Trabalhistas   /    Política

Comentários

Comentar