Política

REFORMA TRABALHISTA

Temer orienta ministro a se retratar sobre jornada de 12 horas diárias

Diante da repercussão das declarações sobre os ataques aos direitos trabalhistas, o ministro Ronaldo Nogueira, recebeu uma ligação do Presidente golpista Michel Temer no inicio da noite. De acordo com o ministro: ‘’o presidente me ligou, me orientou a reafirmar que o governo não vai elevar a jornada de trabalho de 8 horas e nem retirar direitos dos trabalhadores’’.

Guilherme de Almeida Soares

São José dos Campos

sábado 10 de setembro| Edição do dia

Diante da repercussão das declarações sobre os ataques aos direitos trabalhistas, o ministro Ronaldo Nogueira, recebeu uma ligação do Presidente golpista Michel Temer no inicio da noite. De acordo com o ministro: ‘’o presidente me ligou, me orientou a reafirmar que o governo não vai elevar a jornada de trabalho de 8 horas e nem retirar direitos dos trabalhadores’’.

O Planalto ficou muito irritado com as declarações de que a proposta poderá ampliar as modalidades permitidas de contrato formal de trabalho, chegando até doze horas de jornada diária. De acordo com o governo golpista estas medidas ‘’precisam ser feitas com muita cautela’’ e com as devidas explicações ‘’para evitar erros de interpretação’’.

O ministro do trabalho afirmou que o padrão normal e legal continuara sendo de 8 horas diárias e 44 horas semanais. O que está a ‘’reforma’’ permitira é que as convenções coletivas de categoria tenham a opção de ‘’flexibilizar’’ a forma de trabalho realizado, ou seja, distribuir ela.

Conforme está sendo anunciado na imprensa hoje, um dos temores do governo golpista é que com as medidas antipopulares, os protestos pelo ‘’Fora Temer’’ cresçam e comecem a ganhar simpatia da classe trabalhadora. Um ataque como este, conforme prometeu ontem o ministro do trabalho, pode reacender a força de mobilização dos trabalhadores. Com a intenção de fazer com que as mobilizações contra o Temer não cresçam, o governo golpista de Michel Temer começa a ter o máximo de cautela ao anunciar os ataques.

Com este ‘’anuncio de desculpa’’ do ministro golpista do Trabalho, o que Michel Temer pretende fazer é criar um clima de calmaria entre os trabalhadores colocando que estas medidas não tratam – se de um brutal ataque. Perante o nível dos ataques que está colocado, não podemos confiar nenhum pouco neste governo e por isso é preciso que se preparar para enfrentar esta e outras medidas antipopulares.

Conforme denunciamos em outros artigos, o governo golpista de Temer é serviçal aos interesses do imperialismo e setores da burguesia. Se de um lado, as significativas manifestações contra o governo já começam a exercer uma preocupação por parte de setores do golpismo de como e quando aplicar os ajustes, de outro lado o imperialismo tem pressa para que as estas medidas sejam aplicada.

Isso mostra que de um lado, os golpistas estão tratando as manifestações contra o Temer com repressão policial e passando a imagem de que é algo isolado, por sua vez em poucas semanas de governo estas manifestações já fez o governo ligar o seu sinal de alerta. O motivo de ligarem este sinal é por conta da enorme força que tem a classe trabalhadora brasileira, força esta capaz de por abaixo este governo e seus ataques.

Frente a este cenário que pode se desenvolver, é necessário um plano de luta que coloque abaixo este governo golpista e barrar todas as medidas de privatizações, cortes e ataques aos direitos trabalhistas e sociais. É fundamental neste processo que a CUT e a CTB rompam com a sua paralisia consciente e organize os trabalhadores na base para poder lutar contra este governo.




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Direitos Trabalhistas   /    Política

Comentários

Comentar