Política

GOVERNO TEMER

Temer nomeia privatista Moreira Franco, peça chave na Lava Jato

sexta-feira 3 de fevereiro de 2017| Edição do dia

O presidente golpista Michel Temer assinou no início desta noite, 2, medida provisória que recria dois ministérios e dá novas atribuições à pasta da Justiça. Para assumir um desses ministérios, Temer convida ninguém menos que Moreira Franco, citado inúmeras vezes na operação Lava-Jato e responsável pelo programa de privatização do governo golpista.

Temer recriou a Secretaria-Geral da Presidência da República e nomeou Moreira Franco, atual secretário executivo do Programa de Parceria de Investimentos (PPI), para o cargo. Com isso, Moreira que tem seu nome envolvido em investigações na Operação Lava Jato, ganha foro privilegiado, ou seja, um privilégio político que limita o julgamento de seus crimes à órbita do Supremo Tribunal Federal. Temer confia tantas funções a alguém cujo nome se reproduz em uma série de delações da Lava Jato, ou estaria ele tentando proteger o seu braço direito?

A Secretaria-Geral da Presidência, que será ocupada pelo agora ministro Moreira Franco, terá sob sua responsabilidade, além do PPI, a Secretaria de Comunicação, Secretaria de Administração e o Cerimonial da Presidência. Segundo o porta-voz do Planalto, Alexandre Parola, "suas tarefas estarão voltadas para dar apoio às ações do Presidente da República e conferir maior agilidade ao funcionamento do Palácio do Planalto em suas ações de governo e de atuação presidencial"

Temer designou também a desembargadora Luislinda Valois para o Ministério dos Direitos Humanos e deu mais força política ao ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, que é do PSDB. Com as novas atribuições, o Ministério da Justiça do cachorro louco de Temer passa a ser o Ministério da Justiça e da Segurança Pública, fato que também atendeu os desejos da “bancada da bala” que queriam a criação do ministério da Segurança Pública.

De acordo com Parola, a decisão do presidente Michel Temer de criar o Ministério da Justiça e da Segurança Pública, "se deve ao compromisso do governo federal de ser parte ativa e atuante no combate ao problema da criminalidade". Um repressor da estirpe de Moraes, que frente a uma crise carcerária envia ainda mais repressão e encarceramento como solução, além de ser famoso em São Paulo por ser o cachorro louco de Alckmin responsável pela repressão de manifestações. Com essa medida, Temer sinaliza que pretende ter o seu braço repressivo fortalecido.

Para agradar os tucanos, depois de meses de espera, Temer designou ainda Antônio Imbassahy para a Secretaria de Governo. Agora serão 28 ao invés de 26 ministérios.

A decisão de anunciar esse pacote ocorreu horas depois de definida a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ), na presidência da Câmara dos Deputados. Com essa nova MP, que será publicada no Diário Oficial desta sexta-feira, Temer faz um redesenho em áreas administrativas no Palácio do Planalto. A Secretaria de Governo, que hoje tem atribuições também administrativas, se concentrará em questões políticas e atendimento às questões parlamentares.




Tópicos relacionados

Política

Comentários

Comentar