AGENDA DO GOLPE

Temer no G-20: Brasil à venda e promessas de ataques aos trabalhadores

domingo 4 de setembro| Edição do dia

Sem duplos discursos o golpista Temer reafirmou perante os líderes internacionais sua agenda privatista e de ataques aos trabalhadores no país. Retomou o que havia anunciado em reunião ministerial e em mensagem à nação. Leva na mala um portfólio de estatais à venda e promessas de aumentar a taxa de lucro no país aos capitais interessados.

Depois de grandes anúncios de parcerias (entreguistas) com a China, Temer deve utilizar os chineses como “primeiros compradores” para atrair outros compradores no Leilão da Pátria que quer promover no G-20. Nos próximos dias o golpista tem reuniões agendadas com líderes de diversos países, entre eles o Japão que deve ocorrer hoje. Como informante citado no Wikileaks, espera-se também um bom sale aos interesses ianques.

Na plenária dos líderes do G-20, Michel Temer anunciou o que são para ele as prioridades de governo: "Nosso objetivo primordial é promover um ajuste estrutural dos gastos públicos num horizonte de 20 anos”. Ou seja a PEC 241 de destruição da saúde e educação públicas e profundo ataque ao funcionalismo é sua prioridade.

Quer dar mostras de serviço ao imperialismo, porém Temer deve saber que diversos editorais internacionais destacam como sua posse não resolve a crise política e como os financistas do The Economist opinam que a PEC 241, de difícil aprovação política, é ainda muito pouco para o que querem.

Ciente que aos gananciosos olhos imperialistas que adorariam que os trabalhadores brasileiros tivessem um moderno padrão de exploração de Chineses, Bengaleses ou no “mínimo” das maquiladoras mexicanas, Temer ofereceu outras propostas além da PEC 241 como prioridade: fixação e elevação da idade mínima de aposentadoria e um “audacioso programa de parcerias público-privadas”.

Com instabilidades em seu governo Temer oriundas da pressão da mídia e dos tucanos para que realize ataques já, além das instabilidades dentro do PMDB que se expressaram na votação do impeachment, o hábil e golpista político procura estabilidade mostrando serviço atacando nossas aposentadorias, atacando o funcionalismo, a saúde e a educação e ainda oferecendo o país 50% off”.




Tópicos relacionados

Golpe institucional   /    Governo Temer   /    Michel Temer

Comentários

Comentar