Política

JANTAR TEMER

Temer janta com governadores para trocar dívida dos estados por base de apoio às reformas

terça-feira 13 de junho| Edição do dia

Na tentativa de emplacar uma agenda positiva, firmando apoio da sua base no governo em favor das reformas contra os trabalhadores e para blindar-se da provável denúncia de Jator, o presidente Michel Temer se reuniu governadores na noite desta terça-feira, 13, para discutir o resgate de propostas que trazem alívio financeiro aos Estados, em jantar oferecido, no Palácio do Alvorada.

No cardápio, está a liberação de recursos do BNDES para os governos regionais que enfrentam uma grave crise fiscal, como o Rio de Janeiro, Porto Alegre e Minas Gerais. Um dos principais itens da pauta é acelerar o processo de repactuação das dividas dos estados com o BNDES, autorizada pelo governo federal no início deste ano.

Entre os 15 governadores que participam do evento estão Geraldo Alckmin (São Paulo), Fernando Pimentel (Minas Gerais) e Luiz Fernando Pezão (Rio de Janeiro).

Outras autoridades também estão presentes, como o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e os presidentes do BNDES, Paulo Rabello, e da Caixa Econômica Federal, Gilberto Ochi, além dos ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Henrique Meirelles (Fazenda), Dyogo Oliveira (Desenvolvimento) e Antônio Imbassahy (Secretaria de governo).

Na pauta do encontro estão a regulamentação do refinanciamento de R$ 59,5 bilhões em dívidas dos Estados com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), cuja autorização foi aprovada no fim do ano passado, e a retomada do projeto de permite ao setor público vender créditos de dívidas parceladas por contribuintes - a chamada "securitização", que beneficiaria os caixas estaduais.

Apesar da pauta parecer puramente econômica, o jantar é na realidade uma busca de apoio por parte de Temer no momento em que o presidente busca manter unida a sua base aliada no Congresso Nacional para retomar as votações das reformas contra os trabalhadores. Para isso, compra com dinheiro público os governadores para que estes também apliquem em seus estados medidas que atacam os trabalhadores, cortando dos serviços público, do emprego, dos salários, dos bens públicos vendidos a iniciativa privada. O Planalto vive também a expectativa de que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denuncie Temer com base nas delações dos executivos da JBS, por isso também Temer busca diversas formas de blindar essa denúncia no Congresso, seja mudando relator, seja comprando com dinheiro público o apoio de deputados e governadores.




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Michel Temer   /    Política

Comentários

Comentar