Política

CRISE

Temer faz pronunciamento nas redes: procurando "amigos" para continuar as reformas

quinta-feira 25 de maio| Edição do dia

Com toda a cara de pau que lhe é própria Michel Temer publicou um pronunciamento nas redes sociais há poucas horas. No pronunciamento insiste que seu governo detestado por quase a unanimidade dos trabalhadores do país estaria trabalhando para "colocar o país nos trilhos". Não fala nada da JBS, de seus aliados que estão abandonando seu governo, como o seu assessor especial Sandro Mabel. Nomeia dois aliados, Rodrigo Maia e Eunício de Oliveira, presidentes da Câmara e do Senado.

Para Temer houve excessos na manifestação de ontem. Não menciona que a policia atirou com armas de fogo, que há manifestante sedado até esse momento, que até jornalistas identificados como jornalistas foram agredidos, e nem é óbvio considera um excesso e agressão suas medidas já promulgadas como a PEC 55 que destruirão a saúde e educação de gerações, nem considera "violenta" suas reformas trabalhista e da previdência. Claro que não. Foi colocado no poder por um golpe institucional para promover justamente esses ataques que o PT vinha implementando com maior dificuldade.

Toda a carta é dirigida a "amigos". As pesquisas de opinião do próprio PMDB divulgadas por vários jornalistas no dia de hoje colocam em dúvida se existem esses amigos. Nessas pesquisas o governo Temer é aprovado por 1% dos entrevistados nas capitais nordestinas e por 5% no conjunto do país, algo dentro da margem de erro entre ninguém e esses números.

À falta de um nome de consenso para conduzir as reformas que todos empresários querem Temer se agarra ao poder e tentar vender as ações dos deputados que querem que nós trabalhemos até morrer como se fossem suas. Assim, com esse argumento para ninguém tenta mostrar que ainda seria ele o melhor nome para burguesia em conduzir essas reformas.

Para saber mais sobre os absurdos das medidas provisórias aprovadas ontem enquanto dezenas eram feridos, leia essa matéria. Leia abaixo o pronunciamento de Temer.

Meus amigos,

O Brasil não parou e não vai parar. Continuamos avançando e aprovamos matérias importantíssimas no Congresso Nacional. As manifestações ocorreram com exageros, mas deputados e senadores continuaram a trabalhar em favor do Brasil. E aprovaram número expressivo de medidas provisórias: sete, em uma semana. E a reforma trabalhista avançou no Senado. Expressão, portanto, do compromisso em superar a crise.

Aprovamos matérias vitais para o pais como por exemplo a regularização fundiária. Há milhões de brasileiros que vivem sem a posse legal de sua casa ou de seu pequeno lote de terreno. Agora, isso mudará. O governo vai entregar a escritura para famílias carentes de todo país. Vamos continuar combatendo o desperdício de dinheiro público.

Outra medida é o pente fino no auxílio-doença, que já economizou mais de um R$ 1 bilhão com a revisão desta medida. E vamos chegar a mais de R$ 8 bilhões, dinheiro que vai ajudar o país a investir mais no social.

Garantimos a aprovação da medida que libera o Fundo de Garantia para os dois grupos que ainda faltam para receber seu dinheiro depositado durante anos de trabalho nas contas inativas do Fundo de Garantia. Portanto, mais de R$ 40 bilhões entrarão na economia, ajudando no fim da recessão.

E para isso quero agradecer aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado Federal, Eunício de Oliveira, e aos parlamentares da base aliada pelo empenho nestas votações.

Meus amigos, o trabalho continua e vai continuar. Temos muito ainda a fazer e este é o caminho que meu governo pretende seguir: colocar o Brasil nos trilhos. Portanto, vamos ao trabalho.




Tópicos relacionados

Michel Temer   /    Política

Comentários

Comentar