Política

PRIVATIZAÇÕES DE TEMER

Temer e a sua lista de privatizações: Transportes

Aprofundando o plano de privatização de Dilma, Temer acelera o processo colocando a frente o setor de transportes em sua lista de cortes onde a jogada econômica é vender partes ou setores inteiros para empresas estrangeiras privadas, a troco que o dinheiro para investimentos do Brasil circule de forma mais rápida e de forma "segura" para as empresas, que significa a lógica de menos salários, terceirização e demissão em massa para reduzir custos, aumentar lucros.

Rodrigo Leon

@RodHeel

terça-feira 24 de maio de 2016| Edição do dia

Nas ferrovias, as concessões são em meio a arrecadação de um setor de transporte de matéria prima das grandes indústrias, gerando diversos gastos ao Estado com manutenção, e aí que vem a intervenção: empresas cuidam desse setor a troco do dinheiro público que não retorna para outros investimentos, que é algo que já acontece dentro da VALEC (empresa que cuida do setor ferroviário), que é uma empresa estatal que já tem algumas partes privatizadas, assim como a Petrobras e Infraero.

Nos portos, é proposto uma série de arrendamentos (empréstimo de um setor para uma empresa privada explorar, com parte do lucro devolvido ao governo), terminais portuários privatizados e leiloados. Os principais ataques vão em direção dos portos do Nordeste Brasileiro.

Infraero já é um alvo econômico de Temer, mas sua lista expõe uma serie de aeroportos que vão ser privatizados, como o de Porto Alegre e de Florianópolis; ou seja, centenas de trabalhadores que já sofreram com os cortes de recursos nos aeroportos do governo do PT, agora vão ter uma relação de trabalho ainda pior com as demissões em massa, a baixa no salário mínimo no governo golpista de Temer.

As rodovias que são os principais meios de transporte de cargas do setor primário como grãos e matérias primas para a indústria, terão seus contratos de concessões renovados nesse período, e isso possibilita que os altos preços de viagens das estradas (pedágios, passagens etc) tenham um duplo custo econômico: um no setor de transportes e outro no setor da agricultura.

A luta contra as privatizações e o governo golpista de Temer tem que partir da mobilização, se espelhando nas atuais lutas da juventude, para colocar de pé uma Assembleia Constituinte Livre e Soberana, que pode colocar os trabalhadores como sujeitos da política para reestatizar e estatizar os sistema de transporte privado e colocá-lo a serviço das necessidades da população.




Tópicos relacionados

Privatização   /    Política

Comentários

Comentar