NÃO PAGAMENTO DA DÍVIDA PÚBLICA

Temer e Judiciário fazem tudo para esconder o verdadeiro roubo que é a Dívida Pública

A tentativa de auditoria da dívida pública não durou 24 horas: Temer e o Judiciário mostram que não estão dispostos a aceitar a auditoria para escancarar o verdadeiro roubo que é e cancelam a CPI da Dívida.

quarta-feira 6 de junho| Edição do dia

O juiz Waldermar Cláudio de Carvalho, da Justiça Federal de Brasília, tentou instalar uma CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) no Congresso para realizar uma auditoria da dívida pública brasileira. Menos de 24 horas depois desta pequena tentativa de auditar a dívida, Temer e o Judiciário deixaram claro que nem isso permitirão e cancelaram a CPI.

A CPI seria instalada para fiscalizar a dívida pública, que segundo o Waldemar, teria "juros abusivo", remuneração de bancos privados e consequências em operações de câmbio do Banco Central. A tentativa que durou 24 horas de auditar a dívida pública mostra a ineficácia deste tipo de medida, que inclusive é levantada por candidatos presidenciáveis como Guilherme Boulos (PSOL).

Esta dívida ilegal, ilegítima e fraudulenta devora quase metade do orçamento, deixando deficitário os serviços públicos como saúde e educação e é um dos principais mecanismos do capital financeiro de saque das riquezas brasileiras. Os capitalistas lucram através da compra de títulos da dívida: são 12 empresas que negociam estes títulos.

Essa forma de saque dos recursos brasileiros e o pagamento religioso dos governos é uma política pró-imperialista que não exclusiva do golpista Temer: os governos petistas de Lula e Dilma pagaram R$8 trilhões desta dívida.

Mesmo uma fiscalização ou uma auditoria da dívida, para tentar destrinchar as suas origens e escancarar o óbvio, que são os juros abusivos que fazem com que ela sempre aumente, é totalmente incapaz de impedir que o capital financeiro estrangeiro continue invadindo o país e retirando dos trabalhadores e do povo pobre seus direitos. Até mesmo um juiz, pode tomar a iniciativa de tentar auditar uma dívida, que é protegida há sete chaves pelos governos.

Então, qual a solução para impedir esse roubo dos trabalhadores e da população pobre?

Auditar a dívida de fato não pode solucionar o problema desta dívida que retira os direitos da população e que torna o conjunto da população escravos do imperialismo. A saída consequente consiste em não pagar a dívida pública, e travar então, uma luta frontal contra os imperialistas. Para isso, é preciso nacionalizar os bancos, sob controle dos trabalhadores e da população. Somente assim, é possível impedir que os capitalistas continuem roubando os trabalhadores e a população: nacionalizando os bancos, promovendo crédito barato aos pequenos produtores e protegendo poupança da população pobre; revertendo então o orçamento em benefício do conjunto da população brasileira.

Saiba mais sobre a Dívida Pública:




Tópicos relacionados

Bancos   /    Governo Temer   /    Dívida pública   /    Michel Temer   /    Poder Judiciário

Comentários

Comentar