Política

LAVA-JATO

Temer e Aécio se reúnem para anular provas da JBS que indiciam os dois

Nesta quinta-feira, dia 21, Michel Temer e Aécio Neves se reuniram por fora da agenda oficial na casa de Rodrigo Maia, atual presidente da Câmara. O encontro contou também com a presença de Moreira Franco, ministro de Minas e Energia.

sexta-feira 22 de junho| Edição do dia

Imagem: DCM

Temer e Aécio procuram uma forma de contestar o acordo de Joesley Batista e Francisco de Assis, atual e antigo executivos da JBS, para isso, usam o indiciamento do ex-procurador Marcelo Muller feito pela Polícia Federal.

Marcelo teria ajudado os executivos da J&F sem interferir na produção de provas nem orientar Joesley durante as gravações realizadas. Para a dupla, o indiciamento aponta que Muller fez jogo duplo durante a delação, e portanto, pedem a anulação das provas do acordo. Temer, que é alvo de dois inquéritos no STF vai a São Paulo nesta sexta-feira para encontrar seu advogado. Rodrigo Maia disse que o jantar com os “colegas” foi para discutir política e as expectativas para o jogo do Brasil contra a Costa Rica.

A decisão acerca da anulação das provas fica nas mãos de Edson Fachin, que já ignorou vídeos colhidos por ele mesmo para liberar Aécio, portanto, é possível que a dupla avance em seus interesses e deixem de ser alvos de investigação.

Isso ocorre porque essas investigações avançam e retrocedem de acordo com o jogo de interesses políticos que está na mesa, não se deve esperar que seja esse setor, preocupado com seus interesses políticos e pessoais que acabe com a corrupção, pois ela está no DNA do regime capitalista.

Ainda assim, não deixa de ser um absurdo observar todas as negociações e jogo de interesse e observar que o mesmo judiciário que condenou Lula de forma arbitrária para inviabilizar sua eleição possa fazer vista grossa para denúncias que surgem contra Temer e Aécio.

Para ser consequente no combate à corrupção, é necessário que cada político ganhe o mesmo salário que uma professora, que sejam eleitos com mandatos revogáveis pelos seus eleitores para que se acabe com os privilégios desta casta que está muito longe de representar os interesses dos trabalhadores e quando podem aplicam todos os ataques que a burguesia deseja nas nossas costas.




Tópicos relacionados

Aécio Neves   /    Governo Temer   /    Michel Temer   /    Operação Lava Jato   /    Política

Comentários

Comentar