Política

PRÉ-SAL

Temer avança ainda mais na venda do pré-sal

quarta-feira 28 de março| Edição do dia

Nesta quinta-feira (29), começa a agenda de licitações de áreas do pré-sal, a 15ª rodada de concessões da Agência Nacional de Petróleo (ANP), na qual 20 empresas disputarão 70 blocos exploratórios. Essa rodada será a primeira do ano de uma série de três que o governo golpista de Michel Temer planeja realizar, para avançar no projeto de venda do pré-sal até as eleições.

Entre as empresas inscritas na licitação, a grande maioria já marcou presença ano passado e terão agora uma oportunidade de se fortalecer no país, com destraque à ExxonMobil e BP. A ANP estima arrecadar cerca de 3,5 bilhões com o leilão do dia 29 e com a 4ª rodada da partilha, marcada para junho desse ano. O número, no entanto, é considerado conservador dado o potencial das áreas e do que foi arrecadado em 2017.

17 dos 70 blocos têm possibilidade de reservas abaixo do sal nas bacias de Campos e Santos. Nelas, foram encontradas 4 grandes formações geológicas com potencial para acumulação de petróleo, que podem conter 6 bilhões de barris, com 30% extraído do subsolo, metade das reservas da Petrobrás em 2017. Pedro Parente, presidente da Petrobrás, afirmou que o mercado está movimentado e que acha que vai ocorrer um bom leilão.

Diante de todo o potencial das áreas exploratórias, as empresas devem estar com água na boca para comprar por um baixo preço patrimônios públicos estratégicos para o Brasil, e o governo golpista corre para fazer isso o mais rápido possível antes das eleições. Esse fato faz parte do projeto de entregar recursos naturais muito valiosos para o país, não apenas o petróleo, mas também hidrelétricas ao capital estrangeiro com finalidade de lucro.

Os recursos do pré-sal devem ser de controle completo da Petrobrás e 100% estatal. Para garantir que o patrimônio público não fique nas mãos de corruptos do Estado ou do imperialismo é preciso que coloquemos ele sob controle democrático dos trabalhadores e a serviço da população.




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Michel Temer   /    Privatização   /    Política

Comentários

Comentar