Política

ATAQUE A APOSENTADORIA

Temer apresenta sua reforma da previdência

De acordo com toda grande mídia, Michel Temer vai apresentar hoje aos lideres da base aliada no Congresso e para os representantes das centrais sindicais uma ampla proposta da Reforma da Previdência. Com seu governo em crise sua forma de mostrar serviço é sacrificando nossos direitos.

segunda-feira 5 de dezembro de 2016| Edição do dia

De acordo com toda grande mídia, Michel Temer vai apresentar hoje aos lideres da base aliada no Congresso e para os representantes das centrais sindicais uma ampla proposta da Reforma da Previdência. De acordo com o Palácio do Planalto, o texto será mais robusto, o que vai envolver fortes ataques na aposentadoria, benefícios sociais e pensões. O objetivo é dar um sinal importante para os grandes empresários e banqueiros. Com seu governo em crise sua forma de mostrar serviço é sacrificando nossos direitos.

Ao partir de uma proposta muitíssimo dura Temer espera facilitar a negociação no Congresso, podendo recuar parcialmente e ainda se constituir como um ataque histórico. Com pressa, o governo quer que o Congresso funcione em janeiro e já analise a proposta em comissão especial em janeiro.

Temer também tem uma vantagem nas negociações, o STF já começou a tomar medidas que realizam parte polêmica da Reforma da Previdência, poupando o governo e o Congresso do desgaste. Uma das medidas já garantida pela Suprema Corte foi o fim do direito da "desaposentação" que permitia o recálculo dos valores a receber daqueles que seguissem trabalhando após se aposentarem.

Michel Temer fechou a proposta da Reforma da Previdência nesta sexta-feira, mas os detalhes da campanha começam a ser veiculadas imediatamente depois do envio do texto ao Congresso. Temer também preparou uma cartilha para convencer os deputados e senadores para votar nas mudanças da previdência. O lema da campanha é ’’Previdência, Reforma hoje para garantir o amanhã’’. Não o nosso.

Conforme estamos denunciando aqui, a Reforma da Previdência é um ataque contra todos aqueles que trabalharam durante uma vida e agora não vão poder possuir o direito de ter uma vida dinga no restante dela. Dizem que os trabalhadores devem fazer "sua parte", porém Michel Temer tem como privilégio receber uma aposentadoria de 30 mil reais por mês.

Frente a estes novos ataques que Temer quer colocar em curso, a CUT e CTB precisam organizar um urgente plano de luta que seja capaz de barrar estas medidas. Para que isso ocorra, estas centrais sindicais precisam romper com a trégua dada a Michel Temer. Um plano de luta consistente é o que permite que os trabalhadores não somente barrem os ataques mas possam oferecer uma saída independente à crise política, o que não passa pela defesa do impeachment que coloca nas mãos desse congresso corrupto e reacionário decidir os rumos do país, nem por novas eleições para eleger um "novo ajustador" com a benção das urnas como defendem o PT e o PSOL. O Esquerda Diário defende que com a força da mobilização se imponha uma Nova Assembleia Constituinte Livre e Soberana.




Tópicos relacionados

Reforma da Previdência   /    Governo Temer   /    Política

Comentários

Comentar