Teatro Popular União e Olho Vivo recebe Dolores Boca Aberta em sua sede no Bom Retiro

Com 52 anos de história, o Teatro Popular União e Olho Vivo abre as portas de sua sede para receber importantes grupos da cena teatral de São Paulo. No mês de setembro, o grupo Dolores Boca Aberta apresenta Narrativas da Cozinha, que convida o público a uma reflexão política sobre o ato de comer.

quinta-feira 6 de setembro| Edição do dia

União e Olho Vivo recebe apresentação gratuita de Narrativas da Cozinha com o grupo Dolores Boca Aberta

No dia 15 de setembro, às 19h00, o Teatro Popular União e Olho Vivo – também conhecido como TUOV – abre as portas de sua sede, localizada no Bairro Bom Retiro, para receber o grupo Dolores Boca Aberta Mecatrônica de Artes. O grupo apresentará o espetáculo Narrativas da Cozinha que propõe uma reflexão política sobre o ato de comer.

O grupo Dolores Boca Aberta leva para a sede do TUOV uma peça ambientada num restaurante-cozinha-cenário, onde mesas são dispostas para o público, num jogo de aproximação e distanciamento, permeados por narrativas e canções.

O universo da cozinha expande seus limites boca adentro e devora a distância entre atores e público quando todos são convidados para, em mutirão, confraternizar na cozinha caipira, saboreando o fazer e o comer em coletivo.

A apresentação do grupo Dolores Boca Aberta faz parte da programação de uma grande Ocupação Artística na sede do TUOV que começou em maio e já recebeu apresentações da Trupe Lona Preta, Companhia Antropofágica de Teatro, Companhia Estudo de Cena e vai receber ainda a Companhia do Latão.

Em seu novo projeto – TUOV 52 – Bom Retiro Meu Amor Ópera Samba, contemplado na 31ª Edição do Programa Municipal de Fomento ao Teatro para Cidade de São Paulo, o Teatro Popular União e Olho Vivo busca por fomentar a ocupação teatral de sua sede, ampliando as possibilidades de acesso à cultura na região. A população é convidada a cada mês, a conhecer o trabalho de um grupo diferente que apresentará obras que dialogam com a temática do novo espetáculo do TUOV, atualmente em processo de criação e com estreia prevista para o segundo semestre de 2018.

Com o projeto TUOV 52, o grupo se prepara para realizar uma série de ações, entre elas a estreia de um novo espetáculo chamado “Bom Retiro Meu Amor Ópera Samba”, feito em homenagem ao bairro que o acolhe desde 1982, o Bairro Bom Retiro, seguindo com a trajetória de resistência e luta por um teatro pensado e destinado à população residente não apenas nas periferias, mas em toda a cidade.

Sobre o TUOV – Teatro Popular União e Olho Vivo

Segundo Augusto Boal, o TUOV é um dos mais importantes coletivos de teatro popular das Américas e do mundo. São 52 anos, trocando experiências com as comunidades populares e grupos de teatro para dar seguimento a um processo que representa parte da história do teatro realizado na cidade de São Paulo.

O TUOV – Teatro Popular União e Olho Vivo surgiu em 27 de fevereiro de 1966 e, no auge de seus 52 anos de resistência, possui em sua formação membros presentes desde a fundação como Neriney Moreira e Idibal Pivetta (nome verdadeiro do diretor da companhia, César Vieira). Além de diretor do grupo, Idibal é advogado e exerceu intensa militância no período da ditadura, engajando-se pela liberdade de perseguidos políticos e pela memória dos desaparecidos do regime militar. Esta importante luta confunde-se com a própria existência e trajetória do TUOV.

Nessas mais de cinco décadas, o grupo desenvolveu um trabalho reconhecido nacional e internacionalmente. Fez parte de sua história apresentando-se gratuitamente em bairros populares da grande São Paulo, em ruas, praças, escolas, igrejas, casas paroquiais, clubes esportivos de várzea, e na própria sede. Já sua carreira internacional vai desde os esforços pela interligação latino-americana de grupos teatrais até a repercussão das montagens e dos roteiros em países como França, Itália, Polônia, Portugal, Peru, Bolívia, Egito, Panamá, Nicarágua e Angola.

O TUOV percorreu, em temporadas, mais de 20 países na América, Europa e África e recebeu os mais importantes prêmios teatrais, tais como: Ollantay (Caracas, Venezuela), Casa das Américas (Havana, Cuba), Festival Mundial de Teatro (Cairo, Egito), Festival Internacional de Teatro (Nanci, França); OAB do Brasil; Shell do Brasil e dezenas de outros.

Um grupo que já foi visto por mais de 4 milhões de pessoas ao redor do mundo e que agora abre as portas da sua sede mais uma vez para receber o público, ampliar e fortalecer as ações de sua sede.

Teatro Popular União e Olho Vivo recebe o grupo Dolores Boca Aberta

Espetáculo: Narrativas da Cozinha

Quando: 15 de setembro de 2018 - Sábado - Horário: 19h00

Sinopse: Somos o que comemos – a cozinha, onde tudo acontece, é um lugar em disputa: indústrias, prazeres, comércios, pão de ló, café com histórias, política, farmácias, envenenamentos, panelas de barro com doce de leite, pão de queijo, espetacularização midiática. A necessidade do alimento é convertida em necessidade de consumo. Interesses econômicos de grandes grupos capitalistas transformam estes alimentos em jogos lucrativos.

O que colocamos em nossa mesa?
O que nos é oferecido em abundância?
Quem produz? Por que produz? Que cozinha queremos?
Comer é um ato político!
Duração: 70 minutos - Entrada Gratuita

Ficha Técnica:

Coletivo Dolores Boca Aberta: Cristiano Carvalho, Cristina Adelina Assunção, Daysi Serena, Erika Viana, Fernando Couto, Fernando Oliveira, Igor Giangrossi, Karina Martins, Leticia Carvalho, Lucas Bronzatto, Luciano Carvalho, Luís Mora, Mariana Moura, Nica Maria, Tati Matos, Tiago Mine.
Núcleo “Narrativas na Cozinha”: Fernando Couto, Fernando Oliveira, Nica Maria Tati Matos.
Músico convidado: Tita Reis.
Passaram pelo núcleo: Fátima Rocha, Letícia Laranjeira, Jacqueline Kaczoroviski, Luciano Costa, Maria Terra, Quinho Gonça, Viviane Santos, Yane Santiago.
Criação do espetáculo: Núcleo “Narrativas na Cozinha”.
Criação dramatúrgica: Fernando Couto.
Colaboração dramatúrgica: Núcleo “Narrativas na Cozinha”, Márcio Rodrigues e Renan Rovida.
Direção Geral: Fernando Couto.
Direção Cênica: Márcio Rodrigues
Direção Musical: Tita Reis.
Produção espetáculo: Núcleo “Narrativas na Cozinha”.
Cenário: Fernando Couto.
Colaboração na construção da Cozinha Caipira: Fernanda Gonçalves, Tica e Grupo Teatral Parlendas.
Figurino: Letícia Laranjeira e Nica Maria.
Iluminação: João Alves.
Técnica de luz e som: Cristiano Carvalho e Cristina Adelina Assunção .
Fotos: Alexandre Gonçalves, Dayse Serena, Maria Terra.
Vídeos: Luís Mora.

Informações: teatropopularuniaoeolhovivo@gmail.com / www.facebook.com/tuovivo

Onde: Teatro Popular União e Olho Vivo, Rua Newton Prado, 766, Bom Retiro – São Paulo-SP - Tel: 011 3331-1001.

Contato Assessoria de Imprensa: Luciana Gandelini / Cel: 99568-8773 / lucigandelini@gmail.com




Comentários

Comentar