Teatro Popular União e Olho Vivo prorroga temporada de peça sobre o Bom Retiro!

Após enorme sucesso de público, o Teatro Popular União e Olho Vivo prorroga temporada de estreia da peça BOM RETIRO MEU AMOR - ÓPERA SAMBA até fevereiro. Oportunidade imperdível de conhecer a nova obra deste grupo que tem 52 anos de história!

quinta-feira 24 de janeiro| Edição do dia

TUOV anuncia apresentações extras de Bom Retiro Meu Amor - Ópera Samba

De Dezembro/2018 a Janeiro/2019, o Teatro Popular União e Olho Vivo – também conhecido como TUOV – abriu as portas de sua sede para apresentar o seu novo espetáculo “Bom Retiro Meu Amor - Ópera Samba”, fruto de uma ampla pesquisa coletiva sobre o Bom Retiro, bairro popular da cidade de São Paulo que acolhe o grupo há mais de 35 anos.

Após uma temporada de estreia de muito sucesso, o TUOV acaba de anunciar uma série de apresentações extras para quem ainda não pode conhecer o mais novo trabalho deste grupo que se mantém ativo, no auge de seus 52 anos de história e resistência.

As apresentações extras da temporada de estreia de Bom Retiro Meu Amor - Ópera Samba acontecerão de 25 de janeiro à 03 de fevereiro de 2019, às sextas às 21h / Sábados e Domingos às 16h30 e 19h30 (duas sessões). Com exceções nos dias 25 de janeiro (feriado) que contará com apresentações às 16h30 e 19h30, e dia 03 de fevereiro (domingo) que contará com apenas uma apresentação, às 16h30.

Seguindo o método de trabalho coletivo de criação do grupo, a dramaturgia do espetáculo é resultado de um processo colaborativo realizado durante mais de dois anos por membros históricos e novos membros que se uniram ao Olho Vivo nos últimos anos. A equipe de criação foi a campo para uma imersão na história e nas sutilezas do cotidiano do Bairro Bom Retiro, um território tradicionalmente fabril, que por conta da imigração vinda de diversos países, abarca uma imensa diversidade cultural.

“O Bom Retiro é um bairro sui generis que recebeu levas de refugiados políticos e sociais desde sua fundação até os dias de hoje. Por ali passaram italianos, judeus, coreanos, bolivianos e paraguaios. O espetáculo aborda temas de acontecimentos importantes que ocorreram durante a sua existência e resistência, como a fundação do Sport Clube Corinthians Paulista e o trabalho escravo nas "Oficinas de Suor", explica César Vieira (Idibal Pivetta), coordenador geral do grupo.

Pesquisas bibliográficas, levantamento documental de registros históricos (jornais, fotografias recentes e antigas, livros, teses e dissertações a respeito do bairro, de sua cultura, sua história e possíveis problemáticas) serviram de base para ciclos de conversas, oficinas, debates e reflexões envolvendo o público, trabalhadores, moradores do bairro, estudantes, desempregados, pessoas comuns, artistas.

A partir de diferentes assuntos que se revelaram importantes junto ao público para o qual historicamente o grupo se reporta com seu teatro popular, alguns temas foram ganhando destaque nas vivências. São exemplos de episódios e temas geradores o incêndio ocorrido na Estação da Luz, dois dias antes do término da concessão para a companhia inglesa São Paulo Railway, em 1946; as mulheres em situação de prostituição na Rua Aimorés (no século passado) e atualmente no Parque da Luz e o trabalho análogo à escravidão que fomentaram a criação de debates e cenas.

As ações fazem parte do projeto TUOV 52 – Bom Retiro Meu Amor Ópera Samba, contemplado na 31ª Edição do Programa Municipal de Fomento ao Teatro para Cidade de São Paulo.

Sobre o TUOV – Teatro Popular União e Olho Vivo

Segundo Augusto Boal, o TUOV é um dos mais importantes coletivos de teatro popular das Américas e do mundo. Surgiu em 27 de fevereiro de 1966 e, no auge de seus 52 anos, possui em sua formação membros presentes desde a fundação como Neriney Moreira e Idibal Pivetta (nome verdadeiro do diretor da companhia, César Vieira). Além de diretor do grupo, Idibal é advogado e exerceu intensa militância no período da ditadura, engajando-se pela liberdade de perseguidos políticos e pela memória dos desaparecidos do regime militar. Esta importante luta confunde-se com a própria existência e trajetória do TUOV.

Nessas mais de cinco décadas, o grupo desenvolveu um trabalho reconhecido nacional e internacionalmente. Fazem parte de sua história apresentações gratuitas em bairros populares da grande São Paulo, em ruas, praças, escolas, igrejas, casas paroquiais, clubes esportivos de várzea e na própria sede. Sua carreira internacional vai desde os esforços pela interligação latino-americana de grupos teatrais até a repercussão de suas obras em países como França, Itália, Polônia, Portugal, Peru, Bolívia, Egito, Panamá, Nicarágua e Angola.

Um grupo que já foi visto por mais de 4 milhões de pessoas ao redor do mundo e que, no auge de seus 52 anos se reinventa para estrear sua mais nova montagem, segue na constante troca de experiências culturais com a periferia, principal mote de suas atividades. “Alicerçado nessas premissas o Olho Vivo pede passagem e continua a desfraldar as bandeiras da utopia” - finaliza César Vieira.

Ficha Técnica

Coordenação Geral: César Vieira (Idibal Pivetta), Graciela Rodriguez e Neriney Moreira|Direção Teatral: César Vieira, Rogério Tarifa|Dramaturgia: César Vieira, Mei Hua Soares, Rogério Guarapiran |Direção de Arte, Cenografia e Figurino: Graciela Rodriguez|Colaboração na Pesquisa: Luiz Alberto Barreto Leite Sanz, Walter Quaglia|Direção Musical: Rogerio Guarapiran|Coordenação Musical: Cesinha Pivetta, Rogerio Guarapiran|Elenco: Ana Elisa, Angelita Alves, Babi Pacini, Danila Gonçalves, Dante Kanenas, Edson Rocha, Flávia Sztutman, Juma Tanaka, Leandro Soussa, Lívia Loureiro, Lucas Cruz, Mei Hua Soares, Neriney Moreira, Oswaldo Ribeiro, Pedro Fraga, Rogerio Guarapiran|Músicos: Babi Pacini, Oswaldo Ribeiro, Pedro Fraga, Rogerio Guarapiran| Iluminação: Gil Teixeira|Assistência de Cenografia e Figurino: Lívia Loureiro | Ajudantes de Cenografia e Figurino: Edson Rocha, Gilvan Xavier, Juma Tanaka, Lucimara Freitas |Treinamento de Atuação: Luís Mármora | Treinamento Vocal: Ester Freire|Colaboração na Pesquisa: Luiz Alberto Barreto Leite Sanz, Walter Quaglia|Direção de Produção: Maria Tereza Urias | Produção: Natasha Karasek | Assistência de Produção: Renê Costanny | Assessoria de Imprensa: Luciana Gandelini | Registro Fotográfico: Graciela Rodriguez | Registro Audiovisual: Nana Ribeiro, Pedro Cortese | Preparação Corporal: Marilda Alface | Design Gráfico: Julia Pinto

Bom Retiro Meu Amor Ópera Samba

Sinopse: Espetáculo teatral musical baseado no bairro do Bom Retiro e em gerações de imigrantes e moradores atuais (operários de tecelagens, lavadeiras, “mulheres da vida“, catadores em situação de rua, habitantes da cracolândia) que coexistem e deixam suas marcas neste território composto de grande diversidade cultural. Das travessias dos mares à chegada dos imigrantes de diversas nacionalidades. Dos africanos vindos em navios negreiros aos bolivianos “caminantes” atravessando fronteiras para desembocar nas conhecidas "oficinas de suor".

Além da homenagem ao Bom Retiro, o espetáculo faz reverência ao ator Neriney Moreira, no palco do Olho Vivo há 52 anos.

Temporada EXTRA: 25 de janeiro de 2019 - às 16h30 e 19h30 (sex) - feriado

26 de janeiro de 2019 - às 16h30 e as 19h30 (sab)
27 de janeiro de 2019 - às 16h30 e as 19h30 (dom)
01 de fevereiro de 2019 - às 21h00 (sex)
02 de fevereiro de 2019 - às 16h30 e as 19h30 (sab)
03 de fevereiro de 2019 - às 16h30

Classificação: Livre - Ingressos: Gratuitos - Duração: 60 minutos

Onde: Teatro Popular União e Olho Vivo, Rua Newton Prado, 766, Bom Retiro – São Paulo-SP

Informações: (011) 33311001 / teatropopularuniaoeolhovivo@gmail.com / www.facebook.com/tuovivo

Assessoria de Imprensa: Luciana Gandelini / Cel: 99568-8773 / lucigandelini@gmail.com




Tópicos relacionados

Teatro   /    São Paulo (capital)

Comentários

Comentar