Talíria candidata do PSOL é ameaçada por policial em barca Rio-Niterói

quinta-feira 16 de agosto| Edição do dia

Numa eleição marcada pela tutela do judiciário, ocorreu hoje mais um fato que marca o caráter antidemocrático da mesma. A candidata à deputada federal pelo PSOL no Rio de Janeiro, Talíria Perone, foi ameaçada por um policial enquanto tirava fotos com militantes. O episódio começou na estação das barcas, quando o policial abordou a atual vereadora por estar carregando material de campanha dizendo que ela não poderia panfletar nas barcas. Quando ela já estava dentro da barca, tirando uma foto “selfie”, o policial atacou a candidata de forma bruta e violenta. Um jovem que estava na barca saiu em defesa de Talíria e então o policial empurrou o jovem na cadeira, sacando uma arma e dando voz de prisão ao mesmo, e ainda ameaçando dizendo que se precisasse iria usar a arma. A vereadora então pediu cuidado, falando que arma mata. O policial então respondeu então: “Ideologia também”.

O policial também danificou o material eleitoral da candidata e recolheu documentos da mesma e dos militantes que acompanhavam ela. Até o presente momento o jovem ainda se encontra detido. Veja a declaração de Talíria:

As eleições no estado do Rio são marcadas pela atuação de milícias nas áreas onde controlam, determinando quais candidatos podem fazer campanha e muitas vezes obrigado os moradores a votar nos seus candidatos.

Nós do MRT e do Esquerda Diário manifestamos solidariedade à candidata do PSOL atacada, exigimos a libertação imediata do jovem detido e a não abertura de nenhum processo assim como repudiamos a ação das forças repressivas do Estado nas eleições, além das arbitrariedades do judiciário, que impede o povo de votar em quem quiser.




Tópicos relacionados

Eleições 2018   /    Repressão   /    PSOL   /    Violência Policial

Comentários

Comentar