ELEIÇÕES 2018

TSE quer retirar voto de 5 milhões de brasileiros que não realizaram o cadastro biométrico

Nestas eleições, o registro biométrico é obrigatório para cerca de metade do eleitorado, em 2.793 municípios do país. Os cadastros não realizados poderão ter seus títulos cancelados pelo TSE, em mais uma maneira de retirar da população seu democrático direito de votar.

terça-feira 25 de setembro| Edição do dia

Após a retirada do direito de voto de milhões de brasileiros por parte do TSE e de todo o Judiciário brasileiro com o impedimento da candidatura de Lula, o TSE agora atua para retirar o direito do voto de ainda mais brasileiros: aqueles que não registraram o cadastro biométrico poderão ter seus títulos de eleitor cancelados.

A medida passou a ser obrigatória para cerca de metade do eleitorado em todo o país e o prazo para cadastrar as digitais encerrou em 9 de maio. Mais de 5,5 milhões de eleitores não realizaram o procedimento.

O PSB registrou o pediu para que eleitores que não realizaram o cadastro biométrico possam votar, e o ministro do STF, Roberto Barroso, deu o prazo de 72 horas para o TSE, a PGR e a AGU se manifestarem sobre pedido do PSB ao Supremo. A presidente do TSE, Rosa Weber, já defendeu em parecer enviado ao STF o cancelamento dos títulos.

Os mais de 5,5 milhões de eleitores que não realizaram o procedimento representa 4% dos títulos registrados. Em alguns estados do país, o número de eleitores que terão seu elementar direito democrático de votar chegará a 10% de todo o eleitorado (!), em sua maioria nordestinos, com quase 10% na Bahia com o título cancelado, 4,5% em Pernambuco e também no Ceará. Em Minas Gerais 10,7% dos eleitores tiveram o título cancelado e no Rio de Janeiro 8,4%.

Muitos brasileiros sequer têm conhecimento sobre o cancelamento de seus títulos eleitorais e serão pegos de surpresa no dia da votação, 7 de outubro.

A medida vem como um aprofundamento da intervenção do Judiciário no direito de voto da população. Nós do Esquerda Diário denunciamos cada passo do Judiciário sobre os direitos democráticos dos brasileiros com suas medidas arbitrárias que impediram a candidatura de Lula. O fizemos mesmo sem defender o PT e seu projeto de conciliação com a direita e os capitalistas. Denunciamos agora essa nova medida que também impede que milhões de brasileiros exerçam seu direito democrático ao voto.




Tópicos relacionados

Eleições 2018   /    TSE   /    STF

Comentários

Comentar