Educação

MÁFIA DAS MERENDAS

Governo do Estado de São Paulo e prefeituras chegaram a pagar 144% a mais em suco de laranja

Auditoria do TCE de São Paulo nos contratos da Coaf revela que o governo do estado e prefeituras chegaram a pagar 144% a mais para a cooperativa em suco de laranja.

Cássia Silva

Coordenadora do CACH - Unicamp

sexta-feira 23 de setembro| Edição do dia

O governo de Alckmin, segundo auditoria do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo sobre a máfia das merendas, pagou R$6,10 por litro de suco de laranja produzido pela Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar (Coaf), sendo que a fiscalização do tribunal identificou que o preço médio de produto é de R$2,50. Nessa compra, a Secretaria Estadual de Educação acabou por pagar R$11,4 milhões por 1,4 milhões de litros de suco em 2015, antes de abrir os processos da CPI da Merenda.

Já algumas prefeituras chegaram a pagar R$13,90 pelo litro, além de outras extorsões da Cooperativa, em que foi cobrado R$2,89 no kilo do mamão, cujo preço médio é de R$1,61, e R$5,30 no kilo do tomate, que custa cerca de R$2,60.

As investigações da fiscalização também identificaram que os produtos estavam sendo revendidos, ou seja, sendo comprados da indústria para serem servidos nas merendas, e não estavam sendo produzidos por pequenos produtores, como prevê a lei.

A resposta que a Secretaria de Educação deu foi que as chamadas públicas de 2015 já foram canceladas e que já foi “fortalecida” novamente a relação com as cooperativas de agricultores.

Ou seja, mais um exemplo de como as raízes da corrupção e o governo tucano estão arrancando comida de estudantes. Um claro ataque dos políticos poderosos aos trabalhadores e à juventude, ao transformar a merenda escolar em caixa dois e, por fim, extingui-la das escolas brasileiras.

Os privilegiados do governo do Estado, o PSDB de Alckmin e toda a corja golpista, não cansam de atacar a educação. Tentaram fechar as escolas, roubam merenda de criança (mas não aparecem na mídia como ladrões) e agora os golpistas ainda querem acabar com o ensino médio que já era precário. Os estudantes mostraram como se luta pela educação nas ocupações o ano passado, é preciso organizar uma grande luta contra os ataques dos golpistas e ladrões de merenda.




Comentários

Comentar