Sociedade

LUTA POR MORADIA

Suspenso o despejo de 7mil famílias de terreno em SBC. Veja campanha em defesa da ocupação

Sem uso há 40 anos e com dívida de R$500 mil de IPTU, terreno da Construtora MZM completou 1 mês e já abriga mais de 7 mil famílias. No julgamento desta segunda, o Tribunal de Justiça suspendeu o despejo da Ocupação Povo Sem Medo. Houve também uma importante campanha nas redes sociais antes do julgamento que contou com depoimentos de artistas e um twittaço que chegou a emplacar a tag #DespejoNão nos Trend Topics mais comentados do país.

segunda-feira 2 de outubro| Edição do dia

A ocupação do MTST (Movimento de Trabalhadores Sem Teto), localizado na cidade de São Bernardo do Campo em terreno de 70 mil m² que pertence à construtora MZM começou com cerca de 500 famílias e hoje já toma proporções gigantescas com mais de 7.600 mil famílias distribuídas em 3.500 barracas. Uma clara evidência do problema estrutural de habitação não apenas na Região do Grande Abc, mas no Brasil.


Foto GICA TV

São Bernardo do Campo lidera o índice de déficit habitacional da região do grande ABC. São mais de 90 mil famílias sem teto e até o momento o prefeito não se mostrou aberto nem preocupado com a situação dessas pessoas, limitando-se a tratar a ocupação como sendo um caso de polícia, incriminando os movimentos sociais.

Publicamos abaixo vídeos e fotos da campanha #DespejoNão, além da nota oficial do MTST após o julgamento que suspendeu o despejo.

NOTA DO MTST SOBRE O JULGAMENTO DO TJ

Hoje o Tribunal de Justiça julgou a ação de reintegração de posse da ocupação Povo Sem Medo de São Bernardo do Campo.

O pedido dos advogados do Movimento foi de que a reintegração fosse rejeitada, dado que o terreno da construtora MZM estava abandonado há mais de 40 anos, sem cumprir qualquer função social. De outro lado, houve uma atuação de setores políticos - em especial a Prefeitura de São Bernardo - para um despejo imediato, apostando no conflito e sem garantir uma solução para o problema habitacional das mais de 7 mil famílias que estão na ocupação.

A decisão do TJ de suspender a realização do despejo até uma reunião de negociação do Gaorp, envolvendo todas as partes, está longe de ser ideal. Mas, neste momento, significou a derrota daqueles que queriam assistir um massacre.

Para a reunião foram convocados a Prefeitura, os Governos Estadual e Federal, além do MTST e da empresa proprietária. O MTST seguirá apostando decididamente na construção de uma alternativa que garanta o direito à moradia dos sem-teto da ocupação Povo Sem Medo. Neste sentido, tomaremos as ruas nos próximos dias para pressionar o Poder Público, em todas as esferas, para um compromisso de desapropriação ou compra do terreno ocupado.

Reafirmamos que qualquer tentativa de desocupação sem solução habitacional não será aceita e encontrará resistência. A luta segue!

Movimento dos Trabalhadores Sem Teto




Tópicos relacionados

MTST   /    Moradia   /    Sociedade   /    ABC paulista

Comentários

Comentar