Mundo Operário

GREVE DA PETROBRAS

Suspensão de demissões por 15 dias é manobra, mas mostra que greve petroleira pode vencer

quarta-feira 19 de fevereiro| Edição do dia

O Tribunal Regional do Trabalho no Paraná (TRT-Pr) decidiu suspender as demissões da Petrobras por 15 dias em julgamento nesta terça (18). Em sua decisão, a desembargadora suspendeu até dia 06 de março as demissões dos mais de mil trabalhadores da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-Pr).

A forte greve dos petroleiros que já dura 18 dias desperta crescente apoio popular e de outras categorias. Diante da força da greve, a empresa tem sido intransigente, anti operaria e anti sindical, cortando salário dos grevistas e adotando o assédio moral com estes. O julgamento deixou escancarado que a empresa não pretende negociar nada da pauta da greve nacional e se mostra irredutível na decisão de jogar mil famílias da Fafen na rua. A empresa também reafirmou, durante a sessão, que não negociaria a pauta da greve, pois a ela conta com decisões favoráveis do reacionário ministro Ives Gandra, no TST. Decisões, estas, que rasgam o direito de organização e o direito de greve, já que, pretendendo criminalizar a movimento, autoriza medidas administrativas contra os grevistas.

A desembargadora garantiu que a suspensão das demissões não significam em nada um impedimento das demissões; e que a Petrobras está autorizada, posteriormente, a demitir os funcionários, como fica claro no vídeo abaixo:

No julgamento, a Federação Única dos Trabalhadores (FUP) e a desembargadora negociaram abertamente o desmonte da greve nacional dos petroleiros que já dura 18 dias e mobiliza mais de 20 mil trabalhadores.

A decisão de suspender por 15 dias as demissões deixa completamente autorizado para que, depois de desmontada a greve petroleira, a Petrobras volte então com as demissões, já que é evidente a dificuldade de reconstruir uma greve após esse período.

Bruno Gilga, do Esquerda Diário, depois de assistir a audiência relatou: "a audiência fechou com a desembargadora determinando, sob protestos da empresa, que estão suspensas as demissões que foram feitas, e a FUP se comprometeu a defender em todos sindicatos e assembleias a suspensão da greve". E como o mesmo relata, a medida da juíza de suspensão das demissões continua autorizando a empresa a demitir depois dessa decisão.

Direto do ato no Rio que reuniu milhares, Leandro Lanfredi afirma que a greve ainda pode ser vitoriosa e barrar as demissões. Ele denuncia, também, a manobra desta decisão do TRT:




Tópicos relacionados

Petrobras   /    Greve dos Petroleiros   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar