Política

MARCO FELICIANO

Supremo Tribunal Federal arquiva investigação sobre Marco Feliciano

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Celso de Mello, atendeu a solicitação da Procuradoria - Geral da República e arquivou uma investigação sobre o deputado federal Marco Feliciano que estava em curso na Corte há quase quatro anos.

sexta-feira 7 de abril de 2017| Edição do dia

O deputado federal e pastor Marco Feliciano (PSC), estava sendo investigado pela suposta prática de peculato, que significa desvio de dinheiro público, e por crimes conta a honra, que seriam injúria, calúnia e difamação. A investigação, que corria há 4 anos na Corte, foi arquivada a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR).

O inquérito buscava investigar irregularidades na contratação de cinco pastores da Igreja Catedral do Avivamento, criada pelo deputado. De acordo com a acusação, os pastores foram contratados pelo seu gabinete, mas não estariam cumprindo o expediente.

A Procuradoria Geral da República solicitou o arquivamento por concluir, em relação ao crime de peculato, que não havia ’’indícios suficientes da prática de crime peculato’’, mesmo com diligências realizadas. De acordo com o Ministério Público Federal "Revelam-se desprovidos de subsídios que possam justificar a continuidade das investigações quanto ao delito em comento".

Em relação aos crimes contra a honra, não seria mais possível por já ter expirado o prazo de condenação. É de costume no Supremo arquivar qualquer investigação após o Ministério Publico Federal pedir. Porém o ministro, fez a ressalva de que é possível abrir novamente as investigações penais, desde que tenha provas substanciais novas e que o prazo de prescrição não tenha sido atingido.

A investigação sobre a acusação de tentativa de estupro contra Feliciano ainda corre na Justiça, ao mesmo tempo existe uma ação aberta contra a jovem que denunciou o pastor, Patrícia Lellis, acusada de difamação e denunciação caluniosa pelo PSC.




Tópicos relacionados

Política

Comentários

Comentar