Política

DOIS PESOS DUAS MEDIDAS

Supostos defensores da liberdade de imprensa, jornais brasileiros querem censurar sites estrangeiros

terça-feira 1º de novembro| Edição do dia

O STF divulgou na última quarta-feira que a Associação Nacional de Jornais, representantes das empresas do setor, entrou com a Ação Direita de Inconstitucionalidade 5.613, reivindicando que portais de notícias tenham de respeitar a mesma regra de limite de participação do capital estrangeiro - de até 30% - aplicada a jornais, revistas, rádios e televisão. Justo os grandes defensores da liberdade de imprensa, liberdade de capital e comércio, A Folha, O Estado, O Globo e congêneres querem o oposto.

Esta medida pode colocar na ilegalidade a atuação de portais estrangeiros que atuam com equipes brasileiras produzindo conteúdo sobre o país, como a BBC Brasil, o El País, o DW e o The Intercept.

A ANJ quer que o Supremo Tribunal Federal considere que a expressão ’’empresas jornalisticas’’ inclua o veículo de comunicação constituído unicamente para a internet. Querem censura e veto ao capital estrangeiro os supostos defensores de toda liberdade de imprensa (para eles) e defensores de entrega do petróleo nacional aos estrangeiros, agora concorrer com seu monopólio....

No Brasil, boa parte da grande imprensa é controlada por apenas cinco famílias. O conteúdo que elas passam para a população é bem parecido, ou em muitos os casos é idêntico, são frações de um mesmo partido. Que hora diverge em prosseguir com o impeachment, com a Lava Jato, mas concordam em como retirar direitos trabalhistas, em produzir ideologia contra a esquerda e os trabalhadores.

O direito à censura e monopólio é o que defendem sob a máscara de defesa patriótica de "costumes nacionais", isso é todo o avesso do que devemos defender. Depois de se voltar contra os estrangeiros, caso consigam apoio do STF se voltarão contra a chamada mídia alternativa, contra a mídia de esquerda, dos trabalhadores.




Tópicos relacionados

Política

Comentários

Comentar