Juventude

BOLSONARO

Suásticas são estampadas em sala de aula na PUC-RIO em favor de Bolsonaro

A extrema direita quer nos intimidar com seus métodos e impor a nós que aceitemos seus ataques. Precisamos transformar esse medo que querem gerar em nós em organização e mobilização. Nenhum passo atrás!

terça-feira 16 de outubro| Edição do dia

Duas suásticas com os dizeres "Bolsonaro Presidente - Haddad é o caralho" foi escrita em um quadro em uma sala no prédio de Arquitetura da PUC-RIO. A atitude inadmissível em meio a campanha presidencial é uma forma da extrema direita querer intimidar os setores oprimidos da universidade, os trabalhadores, os negros, os LGBT´s, a esquerda e todos os aqueles que lutam.

O ocorrido não se restringe ao espaço da PUC-RIO. Na última semana suásticas foram pixadas na USP, em Campinas e mais de 50 ataques da extrema direita vieram a tona com o crescimento de Jair Bolsonaro. O mestre de capoeira Moa do Catendê foi brutalmente assassinado por bolsonaristas e na UFPR estudantes foram censurados pela justiça de se manifestarem politicamente.

Todos esses ataques são reproduções diretas e indiretas do que Bolsonaro prega. O candidato já afirmou todo o tipo de misoginia, machismo, racismo e homofobia como quando disse que quilmobolas não servem nem pra procriar, e que as “as minorias se adequam ou simplesmente desaparecem”. Ao mesmo tempo, Bolsonaro defende um programa neo-liberal que atacará fortemente os direitos sociais, privatização de tudo, fim do ministério da educação e da cultura, além de uma cartilha de cortes e ajustes que recairão sobre as costas dos trabalhadores, e de todos os setores oprimidos.

O assassinato ao mestre Moa, todos os mais de 50 ataques e o avanço da extrema direita na própria PUC-RIO precisam servir como válvula de escape para que respondamos nas ruas nosso ódio contra essa extrema-direita. O medo que eles querem gerar em nós precisa se tornar organização.

Nós do MRT e da Juventude Faísca exigimos do DCE e dos centros acadêmicos que convoquem uma assembléia de todos os estudantes, e que se tirem comitês de mobilização nas bases dos cursos para que nos organizemos contra a extrema direita.

Precisamos mobilizar assembleias e comitês de base massivos em cada local de trabalho e de estudo para derrotar os reacionários com a força da mobilização. Somente com a juventude, os LGBT´s, e negros organizados junto a classe trabalhadora é possível derrotar a extrema direita e os golpistas escravocratas, barrar as reformas que Temer aprovou e impor que não sejamos nós que paguemos por essa crise, e sim os capitalistas.

O Centro Acadêmico de Arquitetura e Urbanismo (CAAU) soltou uma nota de repúdio:

E também o Departamento de Arquitetura e Urbanismo:




Tópicos relacionados

Comitês contra Bolsonaro   /    PUC-RIO   /    Bolsonaro   /    Juventude

Comentários

Comentar