Internacional

Starbucks e Airbnb anunciam ações contra o decreto anti-imigrações de Trump

A rede de cafés Starbucks e o site de hospedagem Airbnb, anunciaram medidas em resposta ao decreto xenófobo de Trump. Qual o interesse por trás desse anúncio?

segunda-feira 30 de janeiro de 2017| Edição do dia

Na semana passada o presidente norte-americano Donald Trump emitiu um decreto aprovando uma medida xenófoba, que proibia a entrada de pessoas oriundas de sete países de maioria muçulmana: Irã, Iraque, Líbia, Somália, Síria e Iêmen. Essa medida racista e xenófoba fez com cientistas, refugiados e centenas de outras pessoas ficassem presas nos aeroportos do país.

Como resposta a essa medida absurda milhares de pessoas foram às ruas protestar. Grandes manifestações tomaram conta de Nova Iorque, Dallas, São Francisco, Los Angeles, Chicago e Washington, afetando todos os principais aeroportos internacionais do país. Até mesmo o sindicato dos trabalhadores de táxi de Nova Iorque aderiu ao protesto, chamando a não pegar passageiros no aeroporto.

A crise com as medidas racistas e xenófobas implementadas por Trump é tão grande que até mesmo grandes empresas tiveram que se manifestar. A rede de cafés Starbucks anunciou que planeja contratar nos próximos cinco anos 10 mil refugiados nos 75 países nos quais atua. Enquanto o site de hospedagem Airbnb, lançou campanha para que voluntários ofereçam suas residências às pessoas atingidas pelas restrições.

Em email enviado a funcionários e publicado na internet, o presidente da Starbucks, Howard Schultz, disse: “Escrevo a vocês hoje com uma profunda preocupação, o coração apertado e uma promessa decidida. (...) Vivemos tempos sem precedentes, nos quais somos testemunhas de que a consciência de nosso país e a promessa do sonho americano foram colocadas em xeque".

Schultz apoia o partido Democratas e essa medida não é desinteressadas, afinal as empresas como a dele são responsáveis por manter os trabalhos precários de milhões de jovens em todo mundo. A medida vem como parte da tentativa que setores desse partido vem tentando fazer como forma de canalizar todo movimento que se levanta contra Trump em uma oposição domesticada.

Foto: AFP PHOTO / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / STEPHEN BRASHEAR




Tópicos relacionados

Xenofobia   /    Donald Trump   /    Racismo EUA   /    Estados Unidos   /    Internacional

Comentários

Comentar