Gênero e sexualidade

HOMOFOBIA NA CÂMARA

“Sou viado com orgulho”, diz Jean Wyllys em dia do Orgulho LGBT

Em dia do Orgulho LGBT, deputado Jean Wyllys é chamado de “viado” por deputado após aprovar moção de apoio aos esforços de despatologização da transexualidade por parte da OMS. Deputado também afirmou que Jean estava “no seu caderninho”.

quinta-feira 29 de junho| Edição do dia

Nesta quarta-feira, dia 28 de junho, o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) fez fala na câmara a respeito de ofensa dirigida a ele por outro deputado, cujo nome não menciona. O dia 28 de junho é o Dia do Orgulho LGBT, e neste dia o deputado, junto a Erika Kokay (PT-DF), colocou um requerimento de moção de apoio aos esforços da OMS (Organização Mundial de Saúde) pra despatologizar a transexualidade na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara.

Após um longo debate, a moção foi aprovada pela maioria, mas gerou uma situação no mínimo constrangedora. Um deputado, que Jean Wyllys não nomeou, teria se levantado em direção ao deputado psolista e o chamado de “viado”, ao que Jean respondeu que era “viado com orgulho”. Confira o vídeo:

Não bastasse a postura agressiva e homofóbica do deputado mencionado, logo depois ele tentou intimidar Jean Wyllys, dizendo que ele estava “no seu caderninho”. Em sua intervenção na sessão da Câmara, Jean Wyllys ressaltou que o caso se trata de mais uma demonstração da homofobia institucional da Câmara dos Deputados e que ele seguirá com uma postura de enfrentamento contra todos aqueles que não aceitam a presença de um homossexual como Deputado Federal.

Segue transcrição da fala de Jean Wyllys na Câmara:

"Hoje é o dia do orgulho LGBT, o dia em que a comunidade sexo-diversa, a comunidade de gays, lésbicas, bissexuais e travestis e transexuais afirmam o seu orgulho quando em todo o resto do ano nós experimentamos a vergonha, seja porque somos discriminados ou somos vítimas de violências físicas e simbólicas por conta da nossa orientação sexual ou da nossa identidade de gênero. Somos vítimas da homofobia estrutural, da homofobia social, da transfobia social. Então, quando, em todo o resto do ano, experimentamos a vergonha, aqui tem um dia em que afirmamos o orgulho de ser, e hoje é o dia de afirmarmos o orgulho de ser. E nesse dia de hoje nós aprovamos um requerimento de moção meu e da deputada Erika Kokay na Comissão de Seguridade Social e Família, um requerimento de moção de apoio aos esforços da Organização Mundial de Saúde pra despatologizar a transexualidade, a identidade de gênero transexual, de transgêneros e transexuais. Essa moção foi aprovada pela maioria, mas ela foi precedida por um debate longo. E hoje, no dia do Orgulho LGBT, essa casa deu mais uma prova de sua homofobia institucional. Quando eu rebati os argumentos de um deputado que expressava uma ignorância crassa acerca de identidade de gênero e da orientação sexual, esse deputado levantou-se na minha direção, como se viesse me agredir, e me xingou de viado. Ele usou esse termo. Ele achou que estava me insultando. E eu respondi pra ele: eu sou viado com orgulho. No dia do orgulho LGBT eu quero dizer a todos que acham que vão me insultar me chamando de viado nessa casa porque se incomodam com a minha presença aqui, porque não estão habituados a ver um homossexual num espaço de poder e como autoridade da República que eu, sim, tenho orgulho de ser viado. Mas eu sei que ele usou como um xingamento e como um insulto. E depois, como um valentão de quinta série, ele cruzou comigo no corredor e disse pra mim: ’você está no meu caderninho’. Eu quero responder pra ele: que bom que eu estou no caderninho dele, porque, pela primeira vez, o caderninho dele vai ter um conteúdo decente, honrado, honesto e orgulhoso. Fico feliz de estar no caderno dele; ele não está no meu. E de mim ele vai sempre ter esse enfrentamento, seja hoje, no dia do Orgulho LGBT, seja em todos os dias. Porque todos os dias devem ser dias de sermos orgulhosos da nossa orientação sexual e da nossa identidade de gênero.”




Tópicos relacionados

Homofobia e Transfobia   /    LGBT   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar