Política

ELEIÇÕES 2016 RIO

Site R7 é utilizado para campanha de Crivella

Na noite de ontem, o site de notícias da Record, o R7, de propriedade de Edir Macedo da Igreja Universal, colocou em sua capa uma série de manchetes para atacar Marcelo Freixo (PSOL), que disputa a prefeitura do Rio contra Marcelo Crivella (PRB), sobrinho de Macedo e bispo da Igreja Universal.

quarta-feira 26 de outubro| Edição do dia

Desde que vieram à tona denúncias contra Crivella estampadas na capa Veja ou veiculadas pela Globo, o candidato do PRB passou a veicular inserções televisivas em que acusa os dois veículos de imprensa de fazer manipulação a favor de Marcelo Freixo.

Está muito longe da intenção do Esquerda Diário defender a "isenção" da grande mídia patronal, particularmente das reacionárias Veja e Globo. Contudo, a própria Globo já fez sua defesa ao levar ao ar as perguntas que faria para Crivella na entrevista da qual ele fugiu para tentar não desgastar sua imagem.

Contudo, Crivella, que tenta posar de "vítima" dos grandes meios de comunicação, tem ao seu lado o império midiático da Record, propriedade de seu tio - que também é o dono da Igreja Universal - Edir Macedo. E a Record não está poupando esforços para tentar acabar com a candidatura de Freixo e favorecer Crivella.

Uma amostra contundente disso é que ontem, em meio a notícias de esporte e mulheres seminuas, o site R7, parte da Record, deu um grande destaque ao Rio de Janeiro. Das seis manchetes destacadas na capa, cinco tinham como objetivo atacar Freixo requentando acusações contra o candidato do PSOL e seu partido, e uma era para exaltar a manifestação de "artistas" em apoio à Crivella (como o surfista ex-namorado de Luana Piovani).

Fica claro que a candidatura de Crivella, que representa a direita golpista que quer atacar nossos direitos e os valores reacionários da Universal, está muito bem munida de apoio do grande império midiático de Macedo, construído às custas do dízimo de milhões.




Tópicos relacionados

Eleições Rio de Janeiro   /    Eleições 2016   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar