Gênero e sexualidade

TRANSPORTES

Sindicato dos Metroviários de SP se manifesta contra o assedio sexual na Av. Paulista

Reproduzimos nota de repúdio da Secretaria de Mulheres do Sindicato dos Metroviários de SP ao caso de assédio em ônibus na Avenida Paulista, SP

sexta-feira 1º de setembro| Edição do dia

"A Secretaria de Mulheres do Sindicato de Metroviários de SP vem em nota repudiar o caso de assédio flagrante envolvendo uma mulher no transporte coletivo paulistano. A jovem teve sua dignidade e segurança violadas por um homem que se sentiu na liberdade de ejacular em seu pescoço em um ônibus na Av. Paulista.

Este caso já seria absurdo o suficiente, mas ganhou contornos ainda mais dramáticos quando o homem - preso em flagrante - foi liberado pelo juiz que considerou que seu ato não representou “constrangimento e ameaça”.

Nossa secretaria há anos debate sobre o grave problema dos assédios no transporte público. As mulheres trabalhadoras além de aguentar um transporte caro e cheio, ainda ficam constantemente em alerta, com medo de se tornarem mais uma vítima.

É urgente a necessidade de fortalecermos a luta contra o machismo , além de incentivar as mulheres a denunciarem e exigir dos órgãos competentes medidas mais eficazes para coibir estas práticas.

Importante ressaltar que no metrô, onde muitos desses assédios acontecem, a falta de quadro de funcionários e seguranças faz com que muitos destes agressores se sintam livres para continuar cometendo seus crimes. A falta de investimento na expansão da malha metroferroviária também é um fator que contribui e muito para que casos de assédio aconteçam. Infelizmente alguns homens se aproveitam da superlotação do transporte para assediar as mulheres. Com uma lógica privatista de enxugamento na quantidade de empregados, aumento do lucro associado à diminuição dos investimentos, este problema certamente aumentará ainda mais.

Toda nossa solidariedade à mais esta vítima do machismo do nosso cotidiano e nosso repúdio ao agressor e ao juiz do caso, que demonstrou extrema falta de sensibilidade, deixando livre um criminoso que já contava com outras 5 passagens por estupro.

A Secretaria de Mulheres do Sindicato dos Metroviários se coloca ao lado das usuárias na luta contra o assédio nos transportes. Acreditamos que de nada vale uma campanha como a do Metrô que tem por mote "Você não está sozinha!" se a empresa nada faz para evitar que casos de assédio continuem acontecendo!
Basta de machismo! Basta de assédio nos transportes!"

Secretaria de Mulheres – Sindicato dos Metroviários de São Paulo




Tópicos relacionados

Metrô   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar