Mundo Operário

GREVE GERAL

Sindicato das escolas particulares Sinpro MG (CTB) desarticula greve geral entre professores

sexta-feira 30 de junho| Edição do dia

Sindicato de professores das redes particulares, dirigido pela central CTB que foi ligada ao antigo governo do PT é ligada ao PCdoB de Jô Moraes, atuou durante toda a semana na base da categoria desarticulando a greve geral. Assim, os professores da rede particular, que cumpriram importante protagonismo na paralisação dos dias 15 de março e na greve geral de 28 de abril, não poderão aderir novamente à greve geral de amanhã. E a responsabilidade disso está nas mãos da direção sindical da categoria.

As denuncias recebidas pelo Esquerda Diário falam como o sindicato, diferente das paralisações anteriores, não defendeu a paralisação de todas as atividades com o discurso de que de quem quiser parar poderia parar pois a greve é um direito individual. Um discurso para desencorajar a greve entre os professores e não dar nenhuma cobertura para os professores que anseiam pela greve.

Segundo os relatos dos professores, quase não houve orientação do sindicato a favor da paralisação no dia de greve geral, posição que já vinha sendo construída na base da categoria ao não entrar de cabeça na campanha nem mobilizar as escolas como havia acontecido nas outras duas paralisações.

Como viemos mostrando em muitos artigos e na campanha para tomar a greve geral em nossas mãos, a traição das greve por parte das grandes centrais pelegas como Força Sindical e da Nova Central Sindical (que dirige o sindicato dos rodoviários em Belo Horizonte) vem contando com a conivência da CUT e da CTB ao não construírem a greve na base com assembleias e comitês para organizarem milhares contra as reformas e para derrubar esse governo golpista.




Tópicos relacionados

Nossas vidas valem mais que o lucro deles   /    Juiz de Fora   /    Contagem   /    Belo Horizonte   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar