Política

MÍDIA COM BOLSONARO

Silvio Santos lança no SBT vinhetas nacionalistas pró Bolsonaro “em clima de ditadura”

Silvio Santos e sua emissora, tradicionais oficialistas e defensores de todos os governos de turno, se preparam para o governo Bolsonaro resgatando palavras de ordem da ditadura e com vinhetas nacionalistas. “Brasil, ame-o ou deixe-o”, dos anos de chumbo de Médici, é uma delas.

terça-feira 6 de novembro| Edição do dia

Silvio Santos não quer ficar atrás da Record – emissora “oficial” e queridinha de Bolsonaro - e nem da Globo, que desde o escândalo do caixa 2 das fake news já tomou o cuidado de mostrar ao futuro presidente que está disposta a esconder o que for para conseguir cair nas graças do ultra-reacionário Bolsonaro.


Imagem de uma das vinhetas que usa slogan da ditadura

Assim sendo, o dono da emissora pessoalmente se encarregou de ordenar que fossem veiculadas vinhetas “verde e amarelas” na programação, com mensagens nacionalistas e, como se não bastasse, retomando diretamente o slogan oficial criado durante os anos de chumbo (1969-1974) do governo de Garrastazu Médici, o mais assassino e brutal do período militar. Sabendo da grande predileção de Bolsonaro por torturadores e pelo regime militar, o dono do SBT não perdeu tempo e colocou no ar as bizarras vinhetas abaixo:

A primeira no video acima, “Eu te amo, meu Brasil”, é uma música da dupla Dom & Ravel, que era usada pelo regime militar como propaganda política, e cujos autores estavam sempre nos programas de auditório do SBT nos anos 1960 e 70.

Aqui o slogan “Pra frente Brasil” utilizado na Copa de 1970 para aproveitar o fervor patriótico motivado pelo evento esportivo e convertê-lo em apoio ao regime sanguinário.

As vinhetas, que foram encomendadas pessoalmente por Silvio Santos, mostram o adesismo desesperado da emissora para tentar ganhar os favores da extrema-direita que embarca em janeiro no Planalto. E não é só aí a bajulação a Bolsonaro: Michelle Bolsonaro, a primeira-dama, foi convidada para estrelar o Teleton (programa assistencialista do SBT do tipo “Criança Esperança” da Globo) no próximo fim de semana. E Eduardo Bolsonaro, o filho do presidente eleito, foi entrevistado pelo programa Poder em Foco no último dia 4.

O amor de Silvio à ditadura agora retorna do porão do SBT, mas não é novo, só estava em desuso por sua baixa popularidade. Na época do regime, a emissora transmitia “drops” na sua programação durante os intervalos chamados “A semana do presidente”, fazendo um relatório bajulador do ditador de plantão.

Mas não é só os militares de ontem e hoje que Silvio gosta de exaltar e mostrar que podem contar com seu apoio irrestrito. Durante o governo do golpista Temer o SBT não poupou esforços para apoiar as medidas mais duras contra os trabalhadores. O apresentador Ratinho foi ao planalto entrevistar Temer para que ele defendesse as reformas, e o próprio Silvio Santos foi ao ar com o presidente para defender seus ataques.

Veja também Temer, Sílvio Santos e Ratinho: unificados pela Reforma da Previdência

Já sabemos que dessa imprensa, golpista desde a primeira hora, e agora saudosista da ditadura, não podemos esperar mais do que apoio a Bolsonaro e seu governo de repressão para passar os ataques que Temer não passou. Contra eles, fortaleçamos nossa organização e nossa imprensa. O Esquerda Diário faz parte dessa luta.




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Silvio Santos   /    Bolsonaro   /    Política

Comentários

Comentar