Sociedade

CORONAVÍRUS

Shopping centers reabrem para garantir o lucro do Dia das Mães em meio à pandemia

43 shopping centers já foram reabertos em 19 cidades pelo Brasil, colocando em risco a vida de clientes e trabalhadores.

sexta-feira 24 de abril| Edição do dia

Por todo o país, as medidas de isolamento estão sendo relaxadas. Resultado da pressão da burguesia varejista e do bolsonarismo com suas manifestações de rua, a suspensão dos decretos proibindo o funcionamento do comércio se espalha como um rastilho de pólvora. Deixa muito claro que a vida vale menos do que o lucro para os grandes empresários e governos de plantão. Como consequência disto, 43 shopping centers já foram reabertos em 19 cidades pelo Brasil, colocando em risco a vida de clientes e trabalhadores.

A pressão pela reabertura não é sem motivo: de olho nas gordas vendas do Dia das Mães, a Federação das Associações Comerciais do Estado São Paulo (Facesp) e a Associação Comercial de São Paulo (ACSP), por exemplo, divulgaram um comunicado em que pedem a reabertura do comércio paulista a partir de 1.º de maio. Grandes empresas do varejo, como Renner e Riachuelo, também anunciam reabertura de algumas unidades espalhadas pelo país. Esta mesma pressão aos governos vem ocorrendo nacionalmente.

Longe de ser parte de uma gestão científica da crise sanitária, a reabertura do comércio nestas 19 cidades é temerária pois arrisca a vida dos trabalhadores e também dos frequentadores dos shoppings. “Ainda há muita confusão e incerteza porque a suspensão dos decretos não acontece de maneira organizada. Em cada região é uma realidade”, relata o presidente da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), Glauco Humai. Ele estima que, em maio, a maioria dos shoppings já esteja abertos. É irônico - e também trágico - que muitas mães sejam parte do grupo de risco e que seus filhos saiam para aglomerações, podendo contaminar a si mesmos e a elas em pleno dia das mães...

Em defesa da reabertura, as prefeituras e gerências dos centros de compra dizem tomar medidas preventivas, como horário reduzido, menos mesas nas praças de alimentação e fechamento dos cinemas. São medidas totalmente insuficientes, que criam uma aparência de cuidado mas que não servem efetivamente para nada, posto que a taxa de contaminação do coronavírus é extremamente alta e a curva de infectados no Brasil já está maior do que a da Espanha. Estas medidas propostas são tão efetivas quanto separar uma raia da piscina para as pessoas com doenças de pele visando a não disseminação de micoses.

Medidas realmente científicas para combater a Covid-19 passariam principalmente por testes massivos, já. Estes deveriam ser adotados como a tática principal para enfrentar o sars-cov2. Precisamos mapear onde o vírus está e temos a tecnologia para tanto - no entanto, os governos simplesmente decidem abrir tudo, abandonando uma geração para trás e programando a morte de milhares.

O brasil não precisa de 43 shoppings abertos! Precisamos de testes massivos e EPIs para profissionais de saúde. Nossas vidas valem mais que o lucro deles!




Tópicos relacionados

Comitê Esquerda Diário DF/GO   /    Coronavírus   /    Sociedade

Comentários

Comentar