CATALUNHA

Sexta jornada de protestos em Barcelona: dezenas de milhares marcharam contra a repressão e pela liberdade dos presos

Barcelona teve nesse sábado uma nova jornada de protestos contra a repressão, contra a sentença do Supremo e exigindo liberdade para os 30 presos da greve geral de sexta-feira, 9 deles com acusações na lei penal.

domingo 20 de outubro| Edição do dia

Publicado originalmente em izquierdadiario.es dia 19/10 às 18:50

Após a dura repressão na Catalunha na greve geral de sexta-feira, na tarde desse sábado diferentes organizações ou sindicatos como os CDR, a CUP e a CGT Catalunha que convocaram uma grande manifestação em Barcelona contra a repressão.

Às 18hs milhares de pessoas já estavam enchendo novamente a praça Urquinaona, mesmo local onde ontem as ofensivas policiais mais duras ocorreram, enquanto a Polícia Nacional tinha praticamente militarizado toda a zona.

Apesar da intervenção policial nos primeiros instantes da manifestação, dezenas de milhares de pessoas se mantiveram na concentração repudiando a repressão dos últimos dias.

Andrea D’Atri, companheira da Izquierda Diário informava da situação repressiva que está sendo vivida nos últimos dias desde a sentença do Supremo contra os líderes independentistas.

Depois, enquanto um cordão humano organizado por Peu de Pau e outros coletivos se mantinha de frente ao aparato policial em Urquinaona, a massiva mobilização desta tarde se dirigia ao Passeig Lluis Companys, local onde fica o Tribunal Superior de Justiça da Catalunha.

Ali, por horas, milhares de pessoas se manifestaram contra a violência policial da Polícia Nacional e da polícia regional dos Mossos d’Esquadra.

Por outro lado, centenas de pessoas iniciaram em meados da tarde um corte de estrada na Avenida Meridiana de Barcelona. Esse protesto também ocorreu contra a repressão policial desses últimos dias.

Por sua vez, os Mossos d’Esquadra realizam ataques intermitentes e os manifestantes seguem resistindo. No final da concentração na Lluis Companys, milhares de pessoas se concentraram novamente na Praça Urquinaona, onde a poucos minutos a Polícia Nacional voltou a atacar os manifestantes.

Apesar das brutais atuações policiais na Catalunha, elas estão longe de amedrontar. Dezenas de milhares de pessoas seguem se mobilizando contra a sentença judicial e contra a repressão.




Tópicos relacionados

Retorno da luta de classes   /    Catalunha

Comentários

Comentar