Mundo Operário

Setor de infraestrutura demite 118 mil trabalhadores em um ano

Nos últimos 12 meses até abril de 2017, cerca de 118 mil trabalhadores foram demitidos do setor de infraestrutura. Os dados foram divulgados pela Brasinfra e mostram que a retração foi de 27,4% em dois anos.

terça-feira 20 de junho| Edição do dia

Segundo dados divulgados pela Brasinfra (Associação Brasileira dos Sindicatos e Associações de Classe de Infraestrutura), o setor de infraestrutura (indústria da construção pesada, engenharia, obras rodoviárias) sofreu uma retração de 14,7% do total de empregados nos últimos 12 meses até abril de 2017, totalizando cerca de 118 mil trabalhadores demitidos em um ano. Nos últimos dois anos a retração foi de 27,4%.

As altas taxas de desemprego no Brasil tem aumentado cada vez mais, batendo níveis recordes. Até o terceiro trimestre encerrado em abril de 2017, o desemprego ficou em 13,6% com mais de 14 milhões de desempregados, de acordo com dados da Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) divulgados pelo IBGE.

No entanto, levando em conta que as taxas divulgadas consideram apenas quem procura emprego e não o encontra, a realidade é ainda mais alarmante. As taxas sobre o desemprego ampliado consideram aqueles que fazem bicos (trabalho informal) e aqueles que desistiram de procurar emprego, expressando os dados de “subemprego” e, portanto, o desemprego real. Dados estes que também bateram níveis recordes na última pesquisa divulgada pelo IBGE: 24,3 milhões de brasileiros.

Para agravar ainda mais toda essa situação, uma série de medidas vem sendo tomadas pelo governo Temer, como a PEC 55/241, a ampliação da terceirização, e ainda as reformas trabalhistas e da previdência. O governo coloca que essas medidas servirão para aumentar o emprego, quando na realidade, o que está ocorrendo e o que ocorrerá ainda mais (caso as reformas sejam aprovadas) é seu extremo oposto. São reformas que prometem aumentar ainda mais estes números.




Tópicos relacionados

Demissões   /    Desemprego   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar