Educação

GREVE MUNICIPAIS CAMPINAS

Servidores municipais de Campinas mantem greve após proposta rebaixada de prefeito

Danilo Magrão

Professor de sociologia da rede pública

segunda-feira 6 de junho| Edição do dia

Ocorreu hoje (06/06) na cidade de Campinas uma reunião de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho. A prefeitura apresentou a proposta de reajuste de 9.33, porém parcelados em três vezes, prometendo que a última das parcelas ocorreria no mês de dezembro, e o reajuste também valeria para o vale-alimentação. A primeira proposta era de 6% parcelado em duas vezes.

Centenas de trabalhadores municipais se mantiveram em frente ao paço municipal durante toda a tarde, mesmo sob chuva forte. Antes realizaram uma passeata pelas ruas do centro, com os cantos de “não tem arrego” e “trabalhador na rua, prefeito a culpa é sua” que já sinalizava a perspectiva de manter a greve.

Já no começo da noite a votação foi praticamente unanime pela manutenção da greve. Os trabalhadores reivindicam o pagamento do reajuste em somente uma parcela, além de inúmeras demandas específicas, como contratação, melhores equipamentos e condições de trabalho. Outro ponto que os grevistas reivindicam é um acordo de não punição daqueles que estão em estágio probatório e que se assegure o direito de reposição da greve sem o corte de salário.

A cada semana a greve se fortalece mais e começa a incomodar os planos eleitorais de Jonas Donizete do PSB. Mesmo com uma ala da diretoria do sindicato, membro do mesmo partido do prefeito, colocando o advogado do sindicato para “alertar” os trabalhadores que a greve estava ficando mais difícil e que era preciso considerar as propostas, a categoria deu uma resposta em uma só voz: a greve continua!

O Esquerda Diário apoia a greve dos servidores municipais e se coloca a inteira disposição de publicar as notícias, fatos e acontecimentos da greve.




Tópicos relacionados

Educação   /    Campinas   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar