Economia

SALÁRIOS ATRASADOS

Servidores do Rio recebem 13° de 2016 e salário de outubro e só pagarão suas dívidas

Nas vésperas de Natal o governo do Rio de Janeiro, perto das 20h, pagou os salários de outubro e o 13° do ano passado. Com um ano de que seria o pagamento, esse dinheiro será destinado ao pagamento de dívidas que vem se acumulando.

quinta-feira 21 de dezembro de 2017| Edição do dia

A demora do pagamento aconteceu em função de uma decisão judicial que congelava o recebimento do pagamento das ações da CEDAE, em que o dinheiro seria destinado aos salários dos servidores. Nisso, começou a aflição da espera, e a corrida para que se recorresse a decisão. Os salários de outubro e 13° de 2016 foram pagos, ainda com algumas faltas, no início da noite, e ainda sem a correção inflacionária do 13° um ano atrasado.

O que deveria significar uma ceia de Natal, ou mesmo como nos outros anos, uma lembrança para uma filha, uma neta, hoje se destina às dívidas, inclusive com o salário de novembro ainda sem receber e nenhuma previsão para o 13° desse ano.

Muitos servidores seguem cortando gastos, cortando internet, telefone, descobrindo formas de economizar com a luz, com o mercado, para que as dívidas não se acumulem ainda mais.

Um completo absurdo e descaso a situação dos servidores no estado, responsabilidade do governo de Pezão, Temer e os demais políticos do estado e da União, a casta que segue com seus privilégios, enquanto os servidores seguem se afundando em dívidas.

Com a notícia do adiamento do pagamento, que Pezão anunciou em um evento em São Gonçalo, os servidores se reuniram em frente ao palácio do Guanabara para exigir em reunião marcada com o chefe do executivo, que havia sido cancelada, seus pagamentos, que foi com que o governo corresse atrás de liberar o pagamento.

Apesar do recebimento, os servidores seguem desacreditados, e muitos passarão as festas de fim de ano em recessão, sem presentes e economizando o máximo. Não dá para acreditar mais no governo, muitos dizem, e por isso vão economizar e pagar as dívidas.

Um absurdo a situação do Rio de Janeiro, o estado deveria parar de pagar a dívida pública, diminuir os salários dos políticos para que ganhem conforme os demais servidores, em base ao DIEESE, acabar com os privilégios e, dessa forma, pagar os servidores do estado, perdoando inclusive as dívidas da maioria, existentes pela falta de pagamento do governo.

Saiba mais: A esquerda precisa se unir numa grande campanha pelo não pagamento da dívida pública




Tópicos relacionados

Servidores Públicos   /    Luiz Fernando Pezão   /    Dívida pública   /    Rio de Janeiro   /    Economia   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar