Educação

UFRN

Servidores da UFRN deflagram greve por tempo indeterminado a partir do dia 18 de março

Na manhã desta quinta, 05, os servidores técnico-administrativos da UFRN deflagraram em assembleia, por unanimidade, a greve a partir do dia 18 de março.

sexta-feira 6 de março| Edição do dia

FOTO: Sintest

Também aprovaram uma moção de apoio aos servidores da educação do RN que decidiram entrar em greve ontem, quarta (4), por tempo indeterminado a partir de hoje. Confira a nota na íntegra, publicada no site do Sintest:

Nós, técnico-administrativos da UFRN, reunidos em Assembleia geral no dia 05 de março de 2020, quinta-feira, às 9 horas, no auditório da Biblioteca Central Zila Mamede, declaramos total apoio à greve dos trabalhadores em Educação do Rio Grande do Norte por tempo indeterminado contra os ataques do Governo de Fátima Bezerra, que adota os mesmos métodos antipopulares do Governo Bolsonaro com a reforma da previdência que tira direitos dos trabalhadores e arrocha cada vez mais os salários do funcionalismo.

A classe trabalhadora e a juventude brasileiras podem enfrentar Bolsonaro e seu plano de ataques, como pudemos ver com a greve de petroleiros. É preciso a mais ampla unidade para construir um forte 18 de março nacionalmente. Com cada local de trabalho e estudo paralisando, entrando em greve, para fortalecer a organização pela base. As grandes centrais sindicais, como a CUT e CTB, as entidades estudantis, CAs, DCEs e a UNE, devem construir assembleias e reuniões em cada local de trabalho e estudo discutindo planos concretos para unificar as diferentes categorias que já estão em luta e as que entrarão.

É fundamental que os estudantes se somem aos servidores com votações em cada assembleia de curso, para que o dia 18 não seja apenas um dia de manifestações e paralisações, mas um grande dia de paralisação nacional, que se enfrente contra o avanço autoritário, sem confiar em uma saída pelas próprias instituições, como o impeachment, mas que seja uma saída dos trabalhadores, das mulheres, da juventude.




Tópicos relacionados

Abraham Weintraub   /    Governo Bolsonaro   /    Natal   /    Educação

Comentários

Comentar