Educação

CRISE NO RIO

Servidores da FAETEC entram em greve exigindo o pagamento dos salários

segunda-feira 7 de agosto| Edição do dia

Os servidores da Fundação de Apoio à Escola Técnica (FAETEC) decretaram greve nesta segunda-feira, por tempo indeterminado. A assembleia ocorreu no campus de Quintino, e a direção da FAETEC tentou impedir que ocorresse, mantendo o acesso do teatro de Quintino fechado até quase o final da assembleia, como relata o SindpeFaetec em seu site.

A FAETEC tem 7 mil servidores na ativa, incluindo professores, com inúmeros campi em todo o Rio voltados à formação técnica. A escola sofreu inúmeros cortes pelo governo, em fevereiro parte dos terceirizados completou 1 ano sem receber o salário, como denunciamos em matéria.

Pezão não paga os salários de abril dos servidores da FAETEC, assim como cerca de 207 mil servidores. A escola havia decidido não começar as aulas por falta de condições, mas a Secretaria de Ciência e Tecnologia determinou que os servidores deveriam trabalhar mesmo assim, sem receber, determinando que o segundo semestre iniciaria hoje (07/08). Contra mais esta arbitrariedade os servidores entraram em greve e devemos apoiá-los.


FOTOS: SindpeFaetec

Por estes mesmos motivos que estudantes e professores da UERJ também decretaram greve, da mesma forma que os professores da UENF. O Esquerda Diário e a Faísca Revolucionária lançaram um chamado para uma campanha em defesa da educação, para mostrar que a educação vale mais que o lucro deles.

A assembleia dos servidores da FAETEC votou adesão à manifestação no palácio da Guanabara amanhã às 13h. Apesar de que tenha a direção do SindpeFaetec tenha decidido convocar assembleia apenas quando o salário cair na conta, o que desarma a categoria, a adesão de mais outras instituições da educação do estado à greve coloca como possibilidade a unificação das três categorias em defesa dos salários e para que a crise do estado seja paga pelos capitalistas e seus políticos corruptos de estimação.




Tópicos relacionados

Luiz Fernando Pezão   /    Educação   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar