Política

GOLPISMO NU

Serro e Aécio, em ligação interceptada, conspiravam em tirar Serraglio.

sábado 20 de maio| Edição do dia

Como parte das investigações da Operação Patmos, a Polícia Federal interceptou uma conversa por telefone ocorrida no dia 22 de abril entre o senador José Serra (PSDB) e seu parceiro Aécio Neves (PSDB) em que Serra “desabafa” e tenta chegar a soluções acerca das preocupações com o ministério da Justiça e como derrubar o ministro da Justiça Osmar Serraglio.

A conversa ocorreu semana após as delações da Odebrecht, de modo que Serra se dizia "preocupado" com as consequências das dezenas de depoimentos de ex-executivos.

Na ligação, Serra afirma estar preocupado com a “política do ponto de vista macro”, e que sente a necessidade de um ministro “forte”, “bem assessorado” para que as coisas “tenham um caminho de desenvolvimento”, insistindo inclusive que seu colega convencesse o golpista Michel Temer a fazer esta mudança.

Ele queria alguem mais "forte" no Ministério da Justiça, ou podemos entender como alguém que não atrapalhe seus interesses particulares, por exemplo atuarem no sentido de blinda-los de qualquer ação da Justiça, no caso, por conta desses depoimentos.

Aécio, também preocupado e concordando com o senador, insiste que a conversa seja feita pessoalmente. Em outros diálogos, Aécio também manifesta sua posição de que Serraglio é “um bosta do caralho”, afirmando que o ministro “já era”, que ele não fazia “o suficiente”, e que tinha que “mexer na Polícia Federal”.

Esta prática desnuda quais são os métodos típicos dos políticos golpistas, que fazem acordões e conspirações de todos os tipos para chegar numa proposta comum que atenda aos seus interesses. Neste caso, de um ministro que seja mais distante dos interesses da Lava Jato e que os ajude a livrá-los do STF.

Confira uma transcrição da conversa entre os tucanos:

José Serra - Deixa eu te falar uma coisa, cara. Eu tô preocupado... olhando do ponto de vista macro, né... da política, eu acho que precisa ter um ministro da Justiça forte, viu Aécio.
Aécio Neves - Eu também acho, sempre achei.

José Serra - E... realmente forte. Não precisa ser da área, porque vai ficar da área... vai ficar aquele problema todo. Alguém como o Jungmann daria, entende? Bem assessorado, tal. O fato é que tem que por alguém com força. Não para fazer nada arbitrário, mas para que as coisas tenham um caminho, né? de desenvolvimento, tudo.
Aécio Neves
- Vamos falar pessoalmente, tá bom.

José Serra - É. Mas se você tiver oportunidade, sem mencionar que eu te falei, porque eu tinha ficado de falar com ele. Podia mencionar isso para o presidente.
Aécio Neves- Tudo bem, mas não sei se consigo.

José Serra - Inclusive quem etc. Mas o fato é o seguinte, precisa ter ministro forte.
Aécio Neves - Concordo com você.

José Serra - O rapaz é um... o Osmar Serraglio foi um bom deputado, acho mesmo... pode ir para outro ministério, tal, mas as condições iniciais ele não teve
Aécio Neves - Falamos pessoalmente, mas concordo. Falamos pessoalmente, tá bom? Mas tá entendido.

José Serra - Você concorda com a ideia, né?
Aécio Neves - Concordo há muito tempo já.

José Serra - Tá bom.
Aécio Neves - Abração.

José Serra - Ok.
Aécio Neves - Melhoras aí.




Tópicos relacionados

Aécio Neves   /    Política

Comentários

Comentar