Política

AUTORITARISMO

Senador Marcos do Val sustenta perseguição à Jean Wyllys sobre facada de Bolsonaro

Na noite da segunda feira (27) o Senador do Podemos protocolou um “pedido de esclarecimento” do ex-parlamentar Jean Wyllys sobre o caso da facada de Bolsonaro nas eleições de 2018, forçando uma ligação entre o autor da facada e Jean com objetivo de responsabilizar a esquerda pelo ato.

terça-feira 28 de abril| Edição do dia

Não é de hoje que vemos uma perseguição forte por parte da extrema direita aos partidos e representantes da esquerda no regime político golpista brasileiro, as acusações sobre a relação de Adélio Bispo como militante do PSOL já haviam surgido no momento em que se deu tal ação, e que agora em meio à crise política que vivemos é retomada com um único objetivo: criminalizar os partidos de esquerda frente a população e consolidar um regime cada vez mais autoritário com carta branca para aprovação dos ataques neoliberais.

Essa retomada não vem do nada, vimos no discurso de Bolsonaro logo após a renúncia de Moro que após o absurdo de se comparar a Marielle disse que não havia intenção da Polícia Federal de investigar os mandantes de seu ataque. Uma verdadeira cortina de fumaça para desviar a atenção dos reais crimes e da responsabilidade que tem Bolsonaro e seus seguidores.

É um absurdo que seja protocolado tal pedido, após receber inúmeras ameaças de morte por integrantes dessa extrema direita homofóbica e anti-povo o ex parlamentar deixou o Brasil, não bastando a perseguição por parte da dita sociedade civil agora representantes políticos também querem forçar a todo custo essa ligação que sequer existe. Se há responsabilidade de alguém em relação ao mandado de morte de políticos no Brasil essa responsabilidade é dessa mesma extrema direita, como por exemplo no caso do assassinato de Marielle Franco que segue sem resposta de seus mandantes até hoje, tendo sido morta pela milícia do Rio de Janeiro que tem relações comprovadas com toda família Bolsonaro.

Nós, do Esquerda diário e do MRT, declaramos total solidariedade a Jean Wyllys e repúdio completo a essa medida autoritária que faz recair sobre todos nós, militantes de esquerda, a perseguição por lutarmos contra o avanço do golpismo e da extrema direita no Brasil. Não aceitaremos nenhuma perseguição!




Tópicos relacionados

Jean Wyllys    /    Governo Bolsonaro   /    Marielle Franco   /    PSOL   /    Política

Comentários

Comentar