Política

BENEFÍCIO ÀS EMPRESAS

Senado vota lei de falências para socorrer empresas na pandemia

Enquanto o auxílio emergencial segue sem previsão de prorrogação, as empresas serão socorridas.

quarta-feira 25 de novembro de 2020| Edição do dia

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil - 08.10.2020

O Senado deve votar a nova lei de falências nesta quarta-feira (25). A lei prevê a possibilidade de financiamento ainda na fase de recuperação judicial e a ampliação do parcelamento das dívidas tributárias. Ainda permite o uso de bens pessoais como garantia de empréstimos.

Para Guedes, a nova lei tem função de ajudar na recuperação de empresas afetadas pela crise da covid-19. Em apoio o senador Bezerra Coelho (MDB-PE)afirmou que "é muito importante. Essa pandemia machucou, dizimou e liquidou com pequenas, médias e até mesmo grandes empresas, que vão precisar do instrumento de socorro da falência para poder recuperar suas atividades".

Enquanto isso ontem (24) o Presidente Jair Bolsonaro, respondeu “pergunta para o vírus” ao ser questionado sobre a prorrogação do auxílio emergencial. Segundo ele, não acredita ser necessária a prorrogação e que acredita que o vírus “esteja realmente de partida do Brasil”.

O ministro Paulo Guedes disse que “os fatos são que a doença cedeu bastante e a economia voltou com muita força. Então, do ponto de vista do governo, não existe a prorrogação do auxílio emergencial”.

Mais uma vez Bolsonaro, Guedes e o governos, seguem unidos para defender os interesses capitalistas, enquanto deixa de lado os trabalhadores. Para eles dívidas perdoadas e resgates milionários, para a classe trabalhadora, nem o mínimo que o auxílio emergencial representa.




Tópicos relacionados

Auxílio emergencial   /    Paulo Guedes   /    Governo Bolsonaro   /    Senado   /    Congresso   /    Política

Comentários

Comentar