Política

SENADO

Senado pagará mais de 400 mil em reformas de gabinetes

Dentre as reformas está o gabinete de Romero Jucá que sozinho custará R$ 283 mil.

segunda-feira 7 de novembro| Edição do dia

A agenda de gastos julgados “necessários” pelos senadores não para. Nesta segunda-feira, o Senado Federal firmou contrato com a empresa JDC Engenharia, conforme extratos disponíveis no Diário Oficial da União. Somente o gabinete do senador do PMDB Romero Jucá, antigo líder do governo do PT na casa e recém nomeado líder do governo golpista na mesma, custará R$ 283 mil.

Apesar do corrente discurso de corte de gastos supérfluos, que culminaram na elaboração de vários projetos de leis que atingem diretamente a saúde, educação e previdência social (aposentadoria) no país, o senado fechou através de pregão eletrônico o contrato para “fornecimento de insumos e serviços comuns de engenharia para reformas e obras no Complexo Arquitetônico do Senado Federal”.

Outros gabinetes serão reformados com o atual contrato, dentre eles está o do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) com custo aproximado de R$ 33 mil. Além da reforma de toda a Ala Alexandre Costa que necessitará para tal R$ 81 mil, evidenciando que mesmo dentro do próprio “pacote” de reformas há uma grande disparidade entre os orçamentos.

As constantes notícias de destinação de fatias significativas dinheiro público para objetivos pontuais do governo golpista colocam em xeque argumentos orçamentários fundantes dos ataques aos trabalhadores e reformas gestadas. Os políticos brasileiros, ligados as grandes empresas, nadam em privilégios e fecham contratos atrás de contratos com construtoras para escoar o dinheiro público. Tentam mais do que nunca jogar nas costas dos trabalhadores e população de renda baixa os danos da crise, mas as regalias as quais vivem, que arrastam bilhões de reais anuais das contas públicas, nem se quer mencionam a existência, só o fazem quando quem aumentá-las.




Tópicos relacionados

Senado   /    Política

Comentários

Comentar