REPRESSÃO

Senado aprova projeto repressivo que autoriza porte de armas para agentes de trânsito

O Senado desenterrou um projeto apresentado há quase uma década atrás que coloca a autorização para agentes de trânsito portarem armas de fogo. A proposta autoriza também os guardas municipais a utilizarem arma de fogo, essa é a saída dos poderosos para a crise: aumentar a repressão contra a população.

sexta-feira 29 de setembro| Edição do dia

Nesta quarta-feira, dia 27, o senado desenterrou um projeto apresentado há quase uma década atrás que coloca a autorização para agentes de trânsito portarem armas de fogo.

O projeto é do deputado Tadeu Filippelli (PMDB-DF), e dá a permissão para que os agentes de trânsito do Estado, da União e dos Municípios em serviço, mediante a avaliação e comprovação de capacidade técnica para o porte de armas de fogo. O projeto já havia sido aprovado pela câmara, portanto só depende da sanção do presidente Michel Temer.

A ideia de militarizar os agentes de trânsito é simplesmente inaceitável, sabemos o país em que vivemos onde existe uma polícia que mata absurdamente, uma polícia que visa defender os interesses privados e que para isso segue tirando e ameaçando a vidas negras nos morros, nas periferias. A ideia de liberar o porte de arma para os agentes de trânsito, que trabalham nas blitz, fiscalizando desde irregularidades nas carteiras de motoristas, e carros roubados, até a multa mais simples é aumentar o aparato armado do estado de perseguição a população. São inúmeros os jovens que morrem como Maria Eduarda, na sua escola por uma bala perdida, imagina ainda com mais um aparato do estado militarizado?

Inclusive, a proposta inclui não apenas que os agentes de trânsito possuam o porte de armas, mas mesmo os guardas municipais que atuam como agentes de trânsito, possam também ter o acesso. Sabemos como a GM trata a popualação, a reprimindo diariamente com o aval das prefeituras, em são paulo, vimos retirando os pertences dos moradores de rua, já vimos reprimindo atos ou mesmo intervenções dos artistas nas ruas, e sabemos como eles atuam, e com essa proposta, se legitima também a posse de armas da GM. Pode se falar, que é limitado e continua sendo uma polícia desmilitarizada, mas abre uma brecha, para que em momentos específicos haja uma justificativa legal para que estejam armados. Um completo absurdo e ataque a população.

A fala do senador Magno (PR-ES) ajuda a mostrar mais o que realmente eles querem com isso, a perseguição mesmo da população, quando ele fala que os agentes devem estar armados, e que com uma 38, não seria preciso nem de treinamento. O relator, senador José Medeiros (Podemos-MT), ainda disse que no caso dos agentes de trânsito é um instrumento de trabalho necessário.

Fora o papel que tem de cumprir enquanto policiais das fiscalizações, das próprias blitz, e dentro desse papel, concedê-los o porte de armas é fortalecer ainda mais a repressão e perseguição do Estado. Por isso, os senadores resgataram essa proposta de 2008 e levam a frente, e por isso temos que pensar ela com cuidado. Pensar inclusive, o peso que a indústria armamentista tem nessa decisão, o quanto essa decisão vai aumentar seus lucros. Fora o peso que ela tem no próprio senado, o que significa a bancada da bala, que defendeu a todo o custo essa proposta se apoiando na violência, sendo que os números de agentes de trânsito mortos são quase inexistentes.

É importante nesse sentido, pensar as duas vias que essa decisão nos acarreta, seja a via de uma maior vigilância, controle e militarização dos agentes, seja a força e o poder que a indústria armamentista possui no senado para conduzir essa votação.

FONTE DA IMAGEM: TAXINFORME




Tópicos relacionados

Rodrigo Maia   /    Michel Temer   /    Repressão

Comentários

Comentar