Internacional

CORONAVÍRUS

Sem testes, centenas de mortes na Nigéria são registradas como pneumonia

Desde o último mês a população nigeriana estão vendo aumentar o número de mortes no país mais populoso na África, por conta do número escasso de testes, apenas 10.000 testes foram utilizados em casos de pessoas que apresentassem sintomas, as mortes por convid-19 podem estar subnotificadas

sábado 9 de maio| Edição do dia

Desde o último mês a população nigeriana estão vendo aumentar o número de mortes no país mais populoso na África, por conta do número escasso de testes, apenas 10.000 testes foram utilizados em casos de pessoas que apresentassem sintomas, as mortes por convid-19 podem estar subnotificadas .O estado de Kano na Nigéria, passou a ser o centro da pandemia, nos últimos dias tiveram centenas de mortes e o governador da cidade Abdulhai Umar Ganduje além de negar testes massivos para os trabalhadores nigerianos, nega também que essas mortes estejam relacionadas com o novo coronavírus.

Médicos em Kano disseram que viram surgir um onda de casos fatais de pneumonia, as autoridade do país negaram que tenha haver com covid-19, e colocam a culpa desse aumento de mortes na meningite, malaria e hipertensão. Ibrahim Musa, médico que trabalha no hospital federal de Kano disse que está havendo um aumento acentuado nos casos de pneumonia, a equipe médica do hospital tem a suspeita de que os casos tenha ligação com o novo coronavírus. Segundo o médico, “casos de pneumonia estão surgindo, mas não estão sendo registrados como covid-19 porque eles não estão testando”.

Além das subnotificações e o aumento das mortes relacionadas ao vírus, autoridades nigerianas alertam também para o risco da falta de comida nos próximos dias e a fome. Sani Aliyu, coordenador nacional da força tarefa presidencial do covid-19, alertou para esse problema num país que 200 mil habitantes precisam sair de casa todos os dias para garantir comida em suas casas e onde autoridades locais já decretaram lockdown.

A medida em que se avança no número de infectados e mortes pelo vírus na Nigéria, os governos locais negam testes para a população, insistem que as novas mortes que surgem durante a pandemia não tem a ver com o coronavírus. Além disso, tomam medidas autoritárias como os lockdowns, fechando cidades inteiras como em Kano e Buhari, o que na verdade pode gerar problemas ainda maiores como a falta de comida e a fome.

A negação da gravidade da pandemia pelo governo Nigeriano é uma grande afronta aos trabalhadores, é a naturalização das mortes de centenas de trabalhadores que também é apoiada pelo imperialismo que depois de anos no continente, continua sendo uma força de exploração e subjugação do povo nigeriano. O racismo tem sido uma arma fundamental para os capitalistas e imperialistas descontarem a crise do coronavírus nos trabalhadores e no povo pobre, nos imigrantes e nas mulheres. Os trabalhadores devem reorganizar a produção de cada país, reconvertendo toda a produção para salvar vidas, não pagando a dívida pública para financiar os equipamentos necessários para a Nigéria enfrentar a crise, garantir testes, leitos de UTI e estoques de comida para toda a população.




Tópicos relacionados

Coronavírus e racismo   /    Coronavírus   /    África   /    Internacional

Comentários

Comentar