Sociedade

AMAZONAS

Sem resposta para crise, Wilson Lima obriga famílias a enterrarem os próprios parentes no AM

Descaso de Bolsonaro e Wilson Lima, governador do estado, no início da crise do COVID-19 justifica caos que hoje se encontra o estado do Amazonas, forçando até a família cavar cova para enterrar parente

terça-feira 28 de abril| Edição do dia

A crise da saúde em Manaus já começa a repercutir no sistema funerário da capital do estado com o elevado número de mortes. Após a péssima repercussão dos cadáveres continuarem nos hospitais ao lado de pacientes, agora os corpos estão sendo deixados em containers refrigerados. Foi onde os familiares de Joaquim Lopes da Silva, um idoso de 82 anos que morreu com suspeita de coronavírus, o acharam.

Leia também: Manaus só tem 6 carros funerários disponíveis frente a explosão de mortes por Covid-19

UTIs em Manaus chegam ao limite de atendimento pelo aumento de casos de covid-19

O filho, John Magno Máximo, contou em depoimento ao G1 que o corpo do pai não foi encontrado na unidade de saúde em que ele morreu e por isso passaram três dias procurando o corpo até que por fim, o encontraram em um contêiner frigorífico. "Muitos corpos em cima do outro, sem identificação nenhuma. Nós tivemos que nos arriscar, tivemos que nos arriscar dentro do freezer, dentro do frigorífico para identificar nosso pai", disse Máximo.

O transtorno foi ainda pior quando chegaram no cemitério municipal Nossa Senhora Aparecida onde havia a cova para o sepultamento, mas não havia coveiro nem ninguém da administração para ajudar. Os próprios filhos cavaram a cova e enterraram seu pai. Em nota a prefeitura de Manaus informou que a situação foi fato isolado e não representa o trabalho que vem realizando durante a pandemia.

Enquanto Bolsonaro, presidente da república, assim como seu adepto governador do estado do Amazonas, Wilson Lima (PSC) negligenciavam a doença sem responder às medidas necessárias para a combater o vírus, milhares de pessoas faleceram. Nesse cenário muitos trabalhadores perdem seu sustento e sem garantia dos governantes, ficam jogados à própria sorte. Essa crise mostra mais que nunca que os governantes não governam para a população, por isso para que a população não tenha que pagar com sua vida para garantir os lucros dos capitalistas em meio à pandemia, a saída é a organização dos trabalhadores para garantir que as demandas sociais atuais sejam atendidas.

Leia também: Multinacionais de Manaus garantem seus lucros em meio ao colapso da saúde




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Amazonas   /    Sociedade

Comentários

Comentar