Política

ELEIÇÕES 2018

"Sem nada a perder", golpista Temer pode buscar legitimidade nas urnas

Sem ter sido eleito, Temer tenta alçar seu nome para “reeleição”, mas nem em seu partido é unanimidade.

quarta-feira 7 de fevereiro| Edição do dia

A corrida das eleições 2018 já está a todo vapor, mas os partidos ainda fazem cálculos e estudos para definir seus candidatos. Sem nome definido ainda, o PMDB (que tenta se disfarçar mudando o nome para MDB) vinha buscando uma articulação com o DEM e o PP em torno do nome do Ministro da Fazenda, o banqueiro Henrique Meirelles, como uma alternativa à candidatura de Geraldo Alckmin do PSDB.

No entanto, Meirelles é filiado ao PSD, cujo presidente, Gilberto Kassab, busca aliança com os tucanos como possível nome para vice-governador de São Paulo, cenário que ficaria muito facilitado caso José Serra ou Márcio França (PSB) superem João Dória para encabeçar a chapa no estado. Essa aliança significaria um apoio a Alckmin no governo federal, o que forçaria Meirelles a trocar de legenda ou retirar seu nome da disputa.

Com a indefinição se estendendo, já circulam rumores nos bastidores de que Temer “não tem nada a perder” como candidato, segundo a Folha de São Paulo. O presidente golpista estaria estudando a possibilidade de atingir ao menos 10% de aprovação até maio a partir da suposta recuperação econômica que vem promovendo.

Apesar do ego inflado, Temer não encontra nem dentro de seu partido tanto otimismo. Ainda segundo a Folha, figuras do MDB dão como certa a derrota do partido nas eleições caso lance candidato próprio, e nesse caso ter um nome de peso como o de Temer seria a morte do partido, enquanto a derrota com um nome mais fraco, vindo de uma legenda menor, como Meirelles, seria aceitável.




Tópicos relacionados

Eleições 2018   /    Michel Temer   /    Política

Comentários

Comentar