×

Dia Nacional de Ação em defesa do direito ao aborto nos EUA | Sem confiança nos tribunais nem no estado: todos ao ato em defesa do direito ao aborto

quarta-feira 11 de maio | Edição do dia

Com a Suprema Corte pronta para reverter a decisão que descriminalizou o aborto em todo o país desde 1973 no caso Roe vs. Wade, é preciso fazer fazer tudo para defender o direito das mulheres ao aborto legal, seguro e gratuito e à saúde reprodutiva.

A Direita vem se preparando para esse momento há décadas. Mas foi se potencializando nos últimos anos nesse contexto de crescente crise política, econômica e social. Somente em 2022, os republicanos aprovaram mais de 500 leis restringindo os serviços de aborto. A cada dia que passa, os legisladores republicanos sinalizam suas intenções de impor penalidades severas àquelas que buscam fazer aborto e proibir outros tipos de atendimentos à saúde reprodutiva, de preservativos à pílula do dia seguinte. Tanto juízes como o Congresso e governadores ligados ao Partido Republicano tentam impor a volta da era dos abortos clandestinos e da gravidez forçada. Nesta semana, o líder da minoria no Senado, Mitch McConnell, lançou a ideia de expressar a derrubada de Roe através de uma lei, ou seja, instituindo uma proibição nacional do aborto.

A direita está aproveitando este momento. É hora de fazermos o mesmo.

É por isso que todos os sindicatos, ativistas, organizações comunitárias e escolas devem se unir e se mobilizar na construção do Dia Nacional de Ação planejado para 14 de maio com atos nas cidades de todo o país. Vamos mostrar ao juíz Alito e à direita exatamente quem eles estão enfrentando. Devemos tomar as ruas para nos defender contra a reversão das leis que já garantem o direito ao aborto e exigir que esteja na lei o direito ao aborto livre, seguro e legal de acordo com a demanda.

Esperar pelas provas intermediárias não é uma opção. Em apenas um mês, a Suprema Corte divulgará sua decisão e o aborto se tornará automaticamente ilegal em pelo menos 13 estados. Votar em mais democratas é um beco sem saída. Embora tenham tido todas as oportunidades de defender o direito ao aborto, os democratas têm mostrado repetidas vezes que não farão o que for preciso para aprovar a legislação sobre o aborto; sua lealdade é para com os interesses capitalistas e garantir que permaneçam no poder para protegê-los.

É por isso que, embora marchemos ao lado de todos aqueles que defendem o direito ao aborto, o Left Voice, que faz parte da Rede Internacional de Diários, participará de um bloco feminista socialista independente em Nova York ao lado de outras organizações de esquerda como parte do Dia Nacional de Ação convocado por organizações de direitos reprodutivos. Lutamos para que o aborto seja legalizado, seguro e gratuito para todas as pessoas. Não temos fé em nenhum partido capitalista para nos dar esse ou qualquer direito.

Será necessário um movimento de massa de milhões de pessoas para garantir que todas que precisam realizar um aborto possam fazê-lo em segurança e também para nos defendermos de todos os ataques que a direita quer impor aos direitos de milhões de pessoas da classe trabalhadora e pobres – particularmente pessoas LGBTQ+ e jovens trans – em todo o país. E é nessa independência que encontramos nossa força, o poder que temos como professores, como entregadores, como profissionais de saúde e cuidadores, como trabalhadores de logística, dos transportes e das fábricas – como as pessoas que fazem tudo na sociedade funcionar.

Tal movimento será construído em nossos locais de trabalho, escolas e organizações comunitárias, onde podemos decidir os próximos passos democraticamente e intervir com o poder que temos de paralisar o funcionamento da sociedade – sem estar em dívida com nenhum político capitalista, chefe ou burocrata.

Sabemos que nossa força está na organização dos trabalhadores, estudantes e jovens que já saíram às ruas em defesa do direito ao aborto, e que também devem trazer para a luta seus colegas de trabalho, amigos e familiares. Alguns sindicatos, escolas e organizações de trabalhadores fizeram declarações em defesa do direito ao aborto. Mas cabe a cada trabalhador e estudante avançar e colocar essas palavras em ação organizando medidas concretas para lutar juntos.

Nesse espírito, chamamos todos aqueles que estão dispostos a lutar pelo direito ao aborto a organizar comitês em suas escolas, locais de trabalho e sindicatos para discutir e fazer planos de mobilização para o Dia Nacional de Ação para mostrar sua força coletiva. Em Nova York, estudantes, professores e funcionários da CUNY estão se reunindo para discutir como intervir neste momento, organizando uma passeata para 13 de maio e marchando juntos em 14 de maio. Envolva-se com a CUNY pelo direito ao aborto! Inscreva-se para mais informações.

Mas a luta pela defesa do direito ao aborto vai além de uma marcha. Tais comitês podem servir para levar a luta muito mais longe do que 14 de maio, até que o direito ao aborto se torne a lei do país.

O acesso ao aborto também é uma questão que diz respeito aos trabalhadores em seu local de trabalho, uma vez que as mulheres são parte da classe trabalhadora. É imperativo que o movimento de trabalhadores assuma essa luta e faça tudo para a construção do Dia Nacional de Ação. Converse com seus colegas de trabalho, colegas de classe e membros da comunidade. Traga-os com você no sábado – e se você quiser ajuda para organizar essas discussões ou encontrar outras pessoas para organizar, entre em contato conosco.

Junte-se ao Left Voice no bloco Feminista Socialista no Dia Nacional de Ação na cidade de Nova York em 14 de maio no Cadman Plaza às 23h30. Inscreva-se para participar!




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias