REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Segundo pesquisa, 66% dos brasileiros são contra a reforma da previdência

Nesta quarta-feira (10) saiu o resultado da pesquisa sobre a reforma da previdência feita pelo Instituto Paraná Pesquisas. Os dados coletados revelam que, apesar da propaganda enganosa do governo Temer, 66% dos entrevistados são contra a reforma da previdência e 61,1% acreditam que é desnecessária.

quarta-feira 10 de janeiro| Edição do dia

A pesquisa do Instituto Paraná Pesquisas realizada virtualmente durante os dias 09 e 11 de dezembro com 2.500 pessoas em 176 cidades de 27 estados do país, revelam dados importantes sobre a reforma da previdência, que o governo quer aprovar no começo do ano.

Segundo os dados coletados, aproximadamente 80% dos brasileiros dizem que já tomaram conhecimento ou já ouviram falar a respeito da reforma da previdência e 20% responderam que não.

Além disso, permanece o alto índice de rechaço dos brasileiros a este grande ataque aos trabalhadores e à juventude. Segundo a pesquisa, quando perguntados se são a favor ou contra a reforma 66% dos entrevistados são contrários, 28% disseram que são a favor e 6% não souberam ou não quiseram opinar.

O governo Temer desde o final do ano passado modificou seu discurso divulgando uma propaganda enganosa para ganhar o apoio da população, dizendo que este ataque vai "combater os privilégios" e que é necessário para ajustar as contas do Estado.

Veja também: Temer faz propaganda engaosa sobre o efeito das reformas na vida dos trabalhadores
No entanto, os dados da pesquisa revelam que 61,1% dos brasileiros acreditam que a reforma é desnecessária, 33% acreditam que é necessária e 5,3% não responderam

No final do ano passado, o governo Temer teve que adiar a votação da reforma da previdência porque não conseguiu os votos necessários para aprová-la. Esta semana já anunciou 10 bilhões para os redutos eleitorais daqueles deputados que votarem a favor da reforma.

Veja:Temer oferece R$10 bilhões em troca de votos a favor da reforma da previdência

A nova votação está marcada para o dia 19 de fevereiro. É fundamental aproveitar este grande rechaço à reforma da previdência que existe no país para construir uma grande resistência a aprovação deste ataque.




Tópicos relacionados

Reforma da Previdência   /    Governo Temer   /    Michel Temer

Comentários

Comentar