Gênero e sexualidade

8 DE MARÇO NA USP

Secretaria de Mulheres do SINTUSP exige resposta: Quem mandou matar Marielle?

As trabalhadoras e trabalhadores da USP votaram em assembleia adesão à proposta da Secretaria de Mulheres de levantar nesse 8 de março a luta contra Bolsonaro e a reforma da previdência; exigir igualdade salarial entre homens e mulheres e exigir resposta à pergunta Quem mandou matar Marielle?

sexta-feira 8 de março| Edição do dia

O governo Bolsonaro e seu discurso misógino, que perpetua uma visão de que as mulheres são inferiores, contribui para acirrar a violência nas ruas. Essa extrema direita se fortalece em base a um discurso conservador que lhe serve para justificar mudanças na previdência, na educação pública, na organização dos sindicatos e nas leis que significam profundo ataques aos direitos e condição de vida dos trabalhadores e da juventude.

Por isso a luta contra o avanço conservador na chamada “pauta dos costumes” não é uma cortina de fumaças, nem se separa da luta contra os ataques econômicos, como a reforma da previdência. As trabalhadoras e trabalhadores da USP levaram uma carta à CUT, dirigida pelo PT, e à CTB, dirigida pelo PCdoB, para que as centrais sindicais rompam a trégua e negociações com o governo Bolsonaro e apontem um plano de lutas que prepare as condições para a greve geral que derrote a reforma da previdência.




Tópicos relacionados

1 ANO SEM MARIELLE   /    8M 2019   /    Secretaria de Mulheres do Sintusp   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar