Gênero e sexualidade

Sara Winter expõe nome da criança de 10 anos estuprada e o local do aborto incitando sua base

A reacionária bolsonarista Sara Winter divulgou em suas redes sociais o nome da menina de 10 anos que foi abusada pelo tio durante 4 anos, além de espalhar as informações do hospital e do médico que faria a interrupção da gravidez.

domingo 16 de agosto| Edição do dia

Neste dia 14, a justiça concedeu autorização para realizar o aborto após o caso passar por análise com o argumento de que “a Constituição Brasileira reconhece a vida humana como o mais importante valor do Direito brasileiro, tanto a intrauterina (do feto) como a extrauterina (da criança no caso)”.

O hospital de HUCAM de Vitória (ES) se negou a realizar o procedimento neste domingo, e a menina então foi levada para outro estado pela Secretaria de Saúde do Espírito Santo. O novo local tinha sido mantido em sigilo, porém a fascista Sara Winter junto a outros grupos ligados a Ministra Damares descobriram e divulgaram a notícia em suas redes sociais.

É completamente absurdo o que essa reacionária fez. Como se já não bastasse todo o trauma e violência que essa menina sofreu, ainda tem que passar pela perseguição de fanáticos religiosos reacionários. O direito ao aborto deveria ser legal para toda e qualquer mulher que deseja fazê-lo. Os reacionários esbravejam dizendo defender a vida, mas não se importam nem um pouco com a vida dessa garota e de tantas outras mulheres que morrem todos os anos por abortos clandestinos.

Gravidez aos 10 anos mata. Aborto legal, seguro e gratuito já.




Tópicos relacionados

Sara Winter   /    Aborto   /    Direito ao aborto   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar